Terroristas, tirem umas férias pelo menos até 2 de novembro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 9 de setembro de 2004 as 01:12, por: cdb
Atualizado em 13/11/16 11:51

Em pesquisa divulgada ontem, Kerry ganharia em 30 países de Bush.

Bem, o mundo inteiro sabe que Kerry sim, faria um mundo mais seguro do que Bush.

 

Mas não são os estrangeiros que votam, e sim os norte-americanos, que não são muito bons para discernir “ataque ao Iraque” de “ataque ao terrorismo”, coisa que o presidente Bush mistura constantemente. E eles acreditam.

 

Precisamos que os terroristas tirem alguns “day off”! Que parem de fazer atentados por aí, pelo menos nesse período de poucos meses antes das eleições presidenciais de 2 de novembro nos Estados Unidos.

 

Fazer um número absurdo de crianças reféns, com armas apontadas para as suas cabeças, ainda mais sendo muçulmanos (caso da escola em Beslan), é uma ótima propaganda para Bush.

 

O que o atual presidente mais quer são ataques terroristas.

 

Eu até arrisco a dizer que, se a Al Qaeda fizer algo grandioso, isso terá sido encomendado por Bush. O que não seria uma difícil ligação visto que, até agora, ninguém sabe explicar porque durante os dias que se seguiram aos ataques de 11 de setembro, cerca de 40 pessoas da família Bin Laden conseguiram autorização para deixar os EUA, sendo que todos os vôos, com exceção dos militares, estavam proibidos em espaço aéreo americano.

 

Bush já está a frente de Kerry, cerca de 11% nas últimas pesquisas. Essa diferença aumentou depois da Convenção Republicana, em que todos os oradores se saíram muito bem.

 

O discurso Democrata é um pouco complexo, porque explicar o que está errado é mais difícil do que simplesmente afirmar o que já está se fazendo e por isso o discurso dos republicanos é mais simples e de mais rápido entendimento.

 

E não se deve subestimar discursos, porque eles ganham eleições e ganham muito mais que isso também. Basta uma volta ao passado de Hitler, que apenas com seus discursos, conseguiu levar os alemães a odiarem os judeus.