Terror comove o mundo mas no Brasil é motivo de piada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de setembro de 2001 as 16:40, por: cdb

Enquanto inúmeros países do mundo realizaram diversas manifestações de pesar e solidariedade às vítimas dos atentados em Nova Iorque e Washington, nesta sexta-feira, a comoção parece não ter chegado ao Brasil com a mesma intensidade com que atingiu a Europa, a Ásia e até a África. O presidente Fernando Henrique Cardoso passou o dia em um seminário sobre a crise de energia, com alguns ministros. O dia de todos os governadores, sem excessão, também cumpriu sua rotina normal e mesmo as autoridades eclesiásticas não divulgaram qualquer atividade especial em memória aos mortos do WTC, do Pentágono ou dos aviões derrubados por forças terroristas.

E a Internet, para completar o quadro distante que estes fatos ocorridos no norte do continente parecem ter pesado na rotina do país, refletiu o estado de espírito peculiar de alguns brasileiros. A mistura de humor negro e piadas sobre palestinos e norte-americanos prolifera desde as primeiras horas do atentado, na última terça-feira. O redator da revista Playboy e colunista do Caderno de Informática de O Globo, Carlos Alberto Teixeira, chegou a enviar um e-mail para todos da sua lista de mensagens, desculpando-se por ter divulgado uma charge na qual a mãe, de costas para a janela, fala para o bebê: “olha o aviãozinho”, enquanto um avião em chamas está prestes a se chocar contra a vidraça. O desenho é de Arionauro e data de 1997.

– Enviar a você este cartum em nada diminui meu profundo pesar pelas vidas covardemente ceifadas, nem meu total repúdio ao brutal ataque terrorista. O cartum é puro humor-negro, mas peço sinceras desculpas caso você tenha se ofendido com ele, o que não foi de jeito nenhum minha intenção – desculpa-se o jornalista.

Outros utilizam uma peça publicitária do American Express Card, no pior português, para expressar a revolta contra norte-americanos e culpar os árabes por aqueles atos de terror cometidos contra os EUA:

“Passagem p/ NY 800 dólares
almoço no The Plaza 120 dólares
ver os EUA sendo massacrado
por um paizinho do 3º mundo…
NÃO TEM PREÇO…
TEM COISAS QUE SÓ O
ORIENTE MÉDIO
FAZ PRA VOCÊ!!!”

No entanto, a mania de fazer humor negro com tragédias ocorridas com pessoas famosas ou em situações de extrema tensão – muitas delas em andamento – como no caso do seqüestro do apresentador Silvio Santos ou mesmo na morte dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas, segundo um destes humoristas, “é uma característica do brasileiro, em especial do carioca, portanto, não é para ser levada a mal”.