Tempo de fusão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de maio de 2003 as 23:21, por: cdb

Seguindo os rumos da economia, em que as empresas se fundem (ou se engolem) para ficar mais fortes, as entidades de classe dos informatas também concluíram pela necessidade de se unir, objetivando ampliar sua representatividade política.

Nesse sentido, a Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) e a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet (Assespro) instituíram um grupo de estudos para viabilizar a fusão das entidades. De um lado, a paulista Abes aporta a força dos recursos conseguidos nas parcerias com empresas americanas, para combater a pirataria de software. De outro, a Assespro coloca a presença nacional e um grande número de empresas associadas.

Apesar de terem muitos objetivos comuns, as duas entidades têm propostas divergentes sobre temas da maior relevância para o software nacional. Daí que todas as associadas estão sendo convocadas para discutir as vantagens e desvantagens da união.

Os presidentes das duas entidades apostam que o resultado será comemorado com chope da AmBev, mas existe o medo de a nova entidade sentir a turbulência vivida pela Varig e TAM.

PASTOR CONTRA
O deputado Philemon Rodrigues (PTB-PB), que é pastor evangélico, posicionou-se contra projeto do deputado Fernando Gabeira (PT-RJ), que prevê a legalização da prostituição. Embora tida como “a mais antiga das profissões”, até hoje não foi regulamentada, e, se depender da bancada evangélica, não será tão cedo.

CENSURA
A Lei da Mordaça vingou em Brasília: os ministros não podem mais divulgar nem as agendas. Só blablablá.

EXTORSIVAS
A Associação dos Hotéis de Portugal declarou guerra ao Visa. Considera excessivas as taxas de comissão cobradas por seus cartões de crédito.

No Brasil, a gasolina sairia bem mais barata não fosse a sugada das administradoras de cartões nas bombas.

LULALÁ
Algumas lideranças do PT querem a indicação do presidente Lula para o Nobel da Paz. O MSS – Movimento dos Sem Nobel – será acionado para obter 10 milhões de assinaturas que serão enviadas a Oslo.

Afinal, se Lech Walesa, ex-presidente da Polônia, foi o primeiro líder sindical a ganhar o prêmio, por que não Lulinha paz e amor?

PRONTIDÃO
O avanço das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na fronteira com o Brasil não é problema de polícia. É de segurança nacional.

O Ministério da Defesa já está alertado.

É COMPLICADO
Apesar de alertado, o Governo Lula até agora não mandou o Banco Central acabar com a moeda que não existe: a mostrada nas bombas de gasolina a R$ 2,056 e, nas casas de câmbio, o dólar a R$ 2,968.

UNANIMIDADE
O governador Aécio Neves (PSDB) está de bola cheia no plenário que ele presidiu com grande desenvoltura.

Seu esforço para ajustar as contas de Minas Gerais foi exaltado, da tribuna, pelo deputado Romel Anizio (PP-MG), para quem Aécio “cumpre o dever de casa”.

Todos os apartes foram a favor.

AL MARE
O secretário estadual de Energia, Wagner Victer, depois da construção de 40 barcos de apoio para a Petrobras – quase todos no Rio – quer agora mais 40. Os novos barcos viriam substituir similares estrangeiros, com economia de 30% a 40% para a estatal.

ANOTEM
Se não houver uma grita ampla, geral e irrestrita, os vereadores cariocas aumentam de 42 para 55 o número de cadeiras na “Gaiola de Ouro”.

Proposta nesse sentido tramita célere na Casa, sem encontrar resistência.

Inconfidências

>> Siqueira Castro Advogados promove, nesta segunda-feira, das 14 às 18 horas, em seu auditório, seminário sobre oportunidades e regime jurídico dos investimentos na América Latina

>> O deputado Maurício Rabelo (PT-TO) protocolou, com 200 assinaturas, requerimento propondo a criação de CPI para investigar a violência doméstica.

>> O deputado Fernando Ferro (PL-SP) pediu ao Congresso a realização de auditoria no processo de privatização e no setor elétrico.

>> O Instituto Nacional do Câncer está leiloando, via web (www.inca.gov.br), até