Telefônica confirma que Speedy não precisa mais de provedor

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 12 de dezembro de 2002 as 17:53, por: cdb

O que milhares de usuários do sistema de banda larga Speedy, da Telefônica, queriam foi obtido. Não é mais necessário contratar um provedor para usar o sistema — para desespero dos provedores que ganhavam um bom dinheiro vendendo algo que nem mesmo é necessário. A Telefônica está obedecendo a uma decisão judicial, mas seu departamento jurídico tentará reverter o quadro — até porque interessa a muitas empresas que o usuário pague duas vezes por um mesmo serviço.

No dia 12 de julho, o IDEC (Instituto de Defesa do Consumidor) venceu na justiça o direito de seus associados não usarem o provedor, mas o processo ainda não teve um parecer definitivo.

No final de outubro, José Francisco da Silva Neto, juiz da 3ª Vara da Justiça Federal de Bauru (SP), proibiu a Telefônica de exigir provedor para a instalação do serviço Speedy ou de cancelar o serviço se o usuário se negar a assinar um provedor. A informação, divulgada pelo site Consultor Jurídico foi também divulgada por INFO. Como foi uma ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Federal, a vitória se extende para todo o estado de São Paulo.

O Relatório Alfa ligou neste 11 de dezembro para o Call Center da Telefônica que confirmou a notícia. Os usuários que desejarem, devem ligar para a empresa e, dentro de três dias, receberão uma senha que os liberará formalmente de qualquer provedor externo. Naturalmente se, no final, a justiça mudar de idéia, a empresa bloqueará as senhas, forçando o uso de provedores.

O telefone do call center do Speedy é 0800-12-1520. Caso haja qualquer problema, lique para o Ombudsman da Telefônica no 0800 10 12 12 pois, segundo a ABUSAR (Associação Brasileira dos Usuários de Acesso Rápido ) “o Ombudaman está resolvendo mais rápido do que o atendimento normal”.

*Aldo Novak é editor do Relatório Alfa
aldonovak@relatorioalfa.com.br