Técnicos constatam que marquise caiu devido a uso irregular

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 25 de março de 2006 as 10:40, por: cdb

O diretor do Departamento de Vistoria Estrutural da secretaria municipal de Fiscalização Urbanística do Rio, João Batista Veronese, constatou que o uso irregular do imóvel, além de erros na construção, foram relacionados como fatores decisivos para a queda de uma marquise, em Vila Isabel. Ele disse, na manhã deste sábado, que os proprietários do bar Parada Obrigatória, onde houve o incidente na noite desta sexta-feira e causou a morte de três pessoas, além de ferimentos em outras cinco, foram convocados duas vezes para prestar esclarecimentos sobre a obra que realizavam no local.

Veronese disse, em entrevista a uma rádio carioca, que o bar fora intimado como parte de um processo administrativo que vem sendo realizado em inúmeros estabelecimentos ao longo do Boulevard 28 de Setembro, local da fatalidade.

– Os proprietários já tinham recebido dois autos de infração, aos quais não responderam. Vários proprietários já atenderam esta nossa intimação e os que não atenderam estão sendo multados – disse.

Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), Reinaldo Barros, que também esteve na manhã deste sábado em Vila Isabel, afirmou que especialista do Crea fiscalizaram o local logo após o incidente e constataram que a marquise foi construída depois que o edifício estava pronto e, ainda assim, de forma irregular. Os técnicos também perceberam que os donos do estabelecimento usavam a marquise para armazenar engradados de bebidas, o que colaborou para o comprometimento da estrutura. Veronese ressaltou que este tipo de fiscalização, realizada semanalmente em toda a cidade, pode evitar outros acidentes.

– Em 2005, mandamos demolir mais de 150 marquises e executamos mais de 1,6 mil autos de infração contra obras irregulares – disse ele, a jornalistas.