Técnica desenvolvida na USP acelera tratamento da tuberculose

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 5 de abril de 2012 as 09:44, por: cdb

Um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveu uma técnica que permite reduzir o tempo médio de tratamento dos doentes de tuberculose, que atualmente é de seis meses.

Os cientistas Alzir Batista e Javier Ellena

Os cientistas experimentaram, com êxito, o uso de “carregadores”, isto é, de moléculas que transportam os fármacos diretamente até os tecidos afetados pela doença, para aumentar a eficiência dos remédios convencionais.

Estes carregadores foram produzidos com base em complexos organometálicos de rutênio pelos pesquisadores do Instituto de Física e do Departamento de Química da USP, e também da Faculdade de Farmácia da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

As experiências em laboratório com proteínas in vitro e em pequenos animais mostraram o êxito da técnica desenvolvida pelos pesquisadores Javier Ellena e Alzir Batista, da USP, e Clarice Queico Leite, da Unesp.

Os pesquisadores inicialmente identificaram as barreiras biológicas que dificultam a chegada dos medicamentos até a parte específica do organismo que necessita ser tratada, para desenvolver métodos para melhorar o transporte do fármaco.

“Para isto, utilizamos os chamados carregadores, que são moléculas maiores e mais flexíveis, com propriedades específicas que lhes permitem passar através dos tecidos e transportar os medicamentos até o lugar de origem da enfermidade, que no caso da tuberculose é uma enzima específica”, explicou Javier Ellena. “O principal diferencial entre o tratamento convencional e o novo é o carregador, isto é, o sistema para transportar e liberar os agentes”, concluiu.

Os testes com o tratamento em laboratórios tiveram resultados exitosos e promissores, assim como os realizados em pequenos animais.

Fonte: Agência Xinhua

 

..