Talebã invade prisão e solta centenas de detentos no Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de setembro de 2015 as 09:42, por: cdb

Por Redação, com Reuters e ABr – de Ghazni, Afeganistão:

Insurgentes do Talebã invadiram uma prisão no Afeganistão nesta segunda-feira, matando policiais e libertando mais de 350 detentos, incluindo cerca de 150 considerados ameaças à segurança nacional, e depois atacaram tropas que foram às pressas para o local, disseram autoridades.

A invasão do Talebã a uma prisão nos arredores da cidade de Ghazni, na região central do país, acontece após derrotas seguidas das forças do governo em diferentes partes do país, incluindo um ataque fatal em Cabul que acabou com as esperanças de conversas de paz.

Um repórter da agência inglesa de notícias Reuters do lado de fora da prisão em Ghazni, 120 quilômetros a sudoeste da capital Cabul, viu os corpos de dois homens que pareciam ser homens-bomba e um carro queimado que aparentemente havia sido usado para destruir o portão principal.

O Ministério do Interior disse que 355 de um total de 436 presos escaparam. Desses que fugiram, 148 são “uma ameaça à segurança nacional e 207 são criminosos”, disse o ministério em comunicado.

Quatro homens do Talebã e quatro integrantes das forças de segurança morreram no ataque, informou o ministério. Sete policiais ficaram feridos.

Insurgentes do Talebã invadiram uma prisão no Afeganistão nesta segunda-feira
Insurgentes do Talebã invadiram uma prisão no Afeganistão nesta segunda-feira

Ataques aéreos do Paquistão

Pelo menos 15 militantes islâmicos foram mortos e sete bases foram destruídas em ataques aéreos numa região tribal no Paquistão, na fronteia com o Afeganistão, informaram nesta segunda-feira militares.

Os ataques aéreos ocorreram no domingo em Shawalm, no Wazaristão do Norte, onde o exército começou uma ofensiva em junho do ano passado contra bases dos talibãs e da Al Qaeda.

– Quinze terroristas foram mortos e sete dos seus esconderijos, destruídos em Shawal no domingo, na sequência de ataques aéreos – indica um comunicado emitido na noite de domingo e citado pela agência noticiosa AFP.

O número de vítimas não pode ser confirmado de forma independente, uma vez que se trata de uma área remota fora do alcance dos jornalistas, escreveu nesta segunda a AFP.

O Paquistão iniciou uma batalha interna contra os rebeldes islâmicos em 2004, depois da invasão do vizinho Afeganistão pelos Estados Unidos em 2001, que levou militantes a atravessarem a fronteira.

Responsáveis governamentais afirmam que mais de 3,5 mil militantes foram mortos desde que a ofensiva foi lançada no ano passado.