Tailândia cria ‘polícia Pokémon Go’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de agosto de 2016 as 11:34, por: cdb

Autoridades da capital tailandesa lançam força-tarefa para evitar acidentes do trânsito provocados pelos usuários do popular jogo para telefones celulares. Objetivo é conscientizar os jogadores dos riscos

Por Redação, com DW – de Bangcoc:

 

As autoridades de Bangcoc, na Tailândia, decidiram criar a chamada “Polícia Pokémon Go” para vigiar as principais avenidas da cidade a fim de evitar que fanáticos do jogo mais popular do ano causem acidentes, segundo informou o jornal tailandês Bangkok Post.

Cerca de 50 policiais vigiam as principais vias da capital tailandesa em busca de caçadores de Pokémons
Cerca de 50 policiais vigiam as principais vias da capital tailandesa em busca de caçadores de Pokémons

No total, 50 agentes equipados com telefones com câmeras cuidarão de 10 dos principais trechos viários da cidade, além de outras vias no subúrbio da metrópole.

Os caçadores de Pokémons, motoristas ou pedestres, que forem flagrados pondo em risco a circulação de veículos na cidade de 8 milhões de habitantes receberão multas no valor de mil bahts (US$ 28,8).

O coronel Veeravit Vatchanapukka, da polícia de trânsito de Bangcoc, afirmou que equipes de policiais em motocicletas ficaram de vigia nas principais artérias da cidade.

– Não queremos prender muitas pessoas, queremos apenas que esse programa aumente a conscientização delas – afirmou.

A capital tailandesa é conhecida pelo trânsito caótico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a Tailândia possui o segundo maior índice mundial de mortes no transito. Isso, porém, não impede que os caçadores de pokémons saiam em busca dos alvos virtuais, muitas vezes dentro de carros ou motocicletas.

O jogo Pokémon Go para telefones celulares, da empresa Niantic, é utilizado por milhões de usuários em todo o mundo. Na Tailândia, país que tem muitos admiradores das subculturas japonesas, o aplicativo foi lançado no início deste mês, conquistando um grande número de adeptos.

Twitter

O Twitter anunciou na semana passada que suspendeu, nos últimos seis meses, 235 mil contas que faziam apologia ao terrorismo. Somadas aos números anunciados em fevereiro, o número de contas banidas da rede social chegou a 360 mil desde meados de 2015.

A empresa norte-americana afirmou que as contas apagadas contribuem significativamente na redução desse tipo de atividade na rede social. De acordo com o Twitter, o número diário de suspensões aumentou mais de 80% desde o ano passado e atingiu níveis máximos imediatamente após a ocorrência de atentados terroristas.

A empresa disse ainda que ampliou o tamanho das equipes que buscam contas que promovem o terrorismo e a violência. Essa expansão permitiu uma redução no tempo de atuação para identificar esse problema.

– No futuro vamos seguir investindo tanto em tecnologia como em outros recursos para enfrentar esse problema e atualizaremos os progressos que estamos alcançando de maneira regular – afirmou a rede social, em um comunicado.

O Twitter ressaltou que foram tomadas medidas para tornar mais difícil o regresso imediato de pessoas responsáveis pelas contas apagadas para a plataforma.

– O mundo é testemunha de uma nova onda de ataques terroristas mortíferos e abomináveis. Condenamos energicamente esses atos e seguimos comprometidos em eliminar a promoção da violência e do terrorismo em nossa plataforma – acrescentou.