Susto no vôo da Rio Sul leva Aeronáutica a entrar em prontidão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 11 de outubro de 2001 as 14:32, por: cdb

Os passageiros do vôo 5360 da Rio Sul, que saíra de São Paulo e estava prestes a chegar em Uberlândia, em Minas Gerais, nesta quarta-feira, entraram em pânico quando o passageiro Daniel Kitaoka, de 25 anos, tentou pegar uma faca do serviço de bordo. O piloto Marcelo Barrios chegou a acionar o código de seqüestro, em mensagem captada pelo Comando de Defesa Aérea e Controle de Tráfico Aéreo (Condabra). Kitaoka foi controlado por funcionários da empresa e o avião pousou sem problemas.

Kitaoka avançou no carrinho de serviço de bordo da aeronave, tentando pegar uma faca. “Estão todos contra mim”, gritava, segundo a assessoria da companhia. O incidente ocorreu por volta das 18h, cerca de 20 minutos após a partida de Congonhas.

Pânico – Os passageiros entraram em pânico, mas dois funcionários da Rio Sul que viajavam de carona conseguiram imobilizar Kitaoka, que permaneceu quieto até o desembarque, em Uberlândia. Ele não estava alcoolizado mas apresentava ”certo descontrole emocional”, segundo um assessor da companhia. Kitaoka carregava muita bagagem, que foi minuciosamente vistoriada pela Polícia Federal.

O vôo 5360 levava 23 passageiros em um ERJ 145, fabricado pela Embraer. O avião aterrissou às 18h17 em Uberlândia e já retornou a Congonhas. Por causa do incidente, a Rio Sul decidiu substituir os talheres de metal do serviço de bordo por talheres de plástico.

O ministro da Defesa, Geraldo Quintão, que despachava com o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Carlos Alberto Baptista, soube do incidente cinco minutos depois de ocorrido, por meio do Condabra. A Aeronáutica aguarda relatório da Polícia Federal sobre o depoimento de Kitaoka, tomado após o pouso em Uberlândia.