Suspeitos de assassinato na Paraíba depõem nesta quinta-feira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de novembro de 2003 as 04:00, por: cdb

Estão presos na sede da Polícia Federal (PF), na capital da Paraíba, Cláudio Roberto Borges e Lucival de Moraes Lima, suspeitos de matar com vários tiros, no dia 27 de setembro, Flávio Manuel da Silva, o chupeta. Ele foi assassinado em uma rua do município de Pedras de Fogo (PB), três dias depois de prestar depoimento à relatora da ONU Asma Jahagir, sobre a ação de grupos de extermínio na divisa da Paraíba com Pernambuco.

Cláudio foi preso em um posto de gasolina na BR-101, no município de Alhandra, onde era segurança. A prisão de Lucival foi na cadeia pública de Alhandra, onde trabalhava como carcereiro. A polícia cumpriu mandado de prisão temporária expedido contra os dois.

Conforme o superintendente da Policia Federal, Gustavo Ferraz Gominho, há várias provas testemunhais que apontam os dois como os autores do crime.
 
– Por questão estratégica resolvemos só ouvi-los nesta Quinta de manhã. Eles estão em celas separadas, só de cuecas e monitorados por câmeras de vídeo e sistema de escuta. Pediram lençóis, mas, por medida de segurança, para evitar suicídio, resolvemos deixa-los sem roupa – explicou.

A vítima Flávio Manuel da Silva já havia sofrido um atentado em 1999, ficando com seqüelas em uma das pernas. Segundo Gominho, as informações eram de que ele era viciado em drogas, praticava pequenos furtos e na época de colheita cortava cana para a região. Para a polícia, o assassinato dele está ligado ao depoimento prestado à relatora da ONU.