Surpresa – Blatter renuncia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de junho de 2015 as 14:16, por: cdb
Mais uma surpresa na FIFA
Mais uma surpresa na FIFA

Nova supresa na FIFA – Joseph Sepp Blatter, que acaba de ser reeleito para um quinto mandato na presidência da FIFA, anunciou sua demissão.

Num encontro surpresa com a imprensa, Blatter informou desejar convocar um congresso extraordinário da FIFA, que deverá escolher o novo presidente.

Blatter se reportou aos seus 40 anos de presença na FIFA, como secretário de Havelange e como presidente e demonstrou ter entendido que sua reeleição “não obteve a aprovação de todos”.

Blatter assegurará a presidência até a convocação do congresso extraordinário.

Primeira constatação – Blatter disputou a reeleição para não entregar ao príncipe Ali da Jordania o cargo de presidente. Agora, terá o tempo para escolher seu candidato e seguir o conselho de Michel Platini, que lhe pedia para se demitir e se aposentar.

Blatter terá quatro meses, segundo os Estatutos da FIFA, para convocar o congresso extraordinário. O que terá motivado Blatter a renunciar depois de sua reeleição há apenas quatro dias?

Blatter teria se sentido extremamente só, diante das acusações que envolvem sua organização. E, talvez, teria se sentido traído por alguns de seus próximos. Em todo caso, a ação da justiça americana indiciando 14 pessoas, entre elas os sete dirigentes presos em Zurique, deve ter sido um fator desestabilizador e determinante para Blatter.

Situação agravada hoje com a denuncia de que seu secretário-geral, Jerome Valcke, teria entregue dez milhões de dólares para o dirigente do Concacaf, no contexto da escolha da Copa na África do Sul.

Ainda na tarde de hoje o Ministério Público suíço ajuntou novas informações no processo sobre a escolha da Rússia e Qatar, sem citar, porém, o nome de Blatter.

Um risco iminente que também teria influenciado na decisão de Blatter é o de uma divisão e ruptura entre a UEFA e FIFA, que iria desestabilizar a governança do futebol mundial.

E outro elemento explosovo é o ligado à escolha do Qatar para a Copa de 2022, dada a provável existência de documentos e denúncias comprovando a distribuição de propinas para a maioria das federações. Corrupção capaz de colocar em questão a própria existência da FIFA.

Para a declaração de Blatter, na sede da FIFA em Zurique, foi convocada in extremis a imprensa local e alguns jornalistas internacionais ainda na cidade. A coletiva com a imprensa começou com 45 minutos de atraso e Blatter parecia bastante emocionado.

Rui Martins, correspondente na Suíça