Suposto traficante colombiano é extraditado dos EUA e se entrega

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 27 de dezembro de 2003 as 16:49, por: cdb

O suposto narcotraficante colombiano Daniel Serrano Gómez, considerado o contador dos irmãos Gilberto e Miguel Rodríguez Orejuela, se entregou à Justiça depois de sua extradição ser pedida pelos Estados Unidos.

A “submissão voluntária à Justiça” de Serrano aconteceu ontem na cidade de Bucaramanga, informou à EFE em Bogotá a Direção de Polícia Judicial e Investigações (DIJIN).

Um porta-voz dessa dependência da Polícia Nacional disse que o suposto narcotraficante se apresentou por volta do meio-dia (15.00 horas de Brasília) ao Departamento de Polícia de Santander, região da qual Bucaramanga é a capital.

– À tarde (da sexta-feira) ele foi levado a Bogotá – acrescentou a fonte.

A extradição de Serrano Gómez foi solicitada no dia 16 deste mês pela Justiça americana junto aos irmãos Rodríguez Orejuela e William Rodríguez Abadía, filho de Miguel.

A extradição de outros sete colombianos é solicitada no mesmo pedido, anunciado pela Procuradoria Geral americana em Miami na segunda-feira passada, cinco dias depois de as autoridades judiciais em Bogotá receberem as solicitações de captura de todos eles com fins de extradição.

Os onze supostos narcotraficantes foram processados sob acusações de narcotráfico, lavagem de ativos, obstrução à Justiça e homicídio, dentro de uma investigação sobre o cartel de Cali aberta em 1991 e que permitiu desde então a apreensão de aproximadamente 55 toneladas de cocaína e de por volta de 15 milhões de dólares.

Segundo as autoridades americanas, as operações do cartel de Cali foram assumidas, depois da captura, em 1995, dos irmãos Rodríguez Orejuela, por Rodríguez Abadía, cuja extradição foi pedida em meados do ano passado por um tribunal de Nova York.

A DIJIN disse que Serrano “era o encarregado de controlar, administrar e financiar a área contábil” dos réus Rodríguez Orejuela e do foragido Rodríguez Abadía.

Mais de 2 bilhões de dólares em operações de lavagem de ativos são atribuídos a Serrano e aos outros vinculados com a causa, além de subornos de funcionários na Colômbia e assassinatos de testemunhas.

Com a entrega de Serrano sobe para cinco o número de solicitados para extradição que estão presos, incluindo os irmãos Rodríguez Orejuela.

Gilberto (“O Enxadrista”) está na prisão de La Picota, no sul de Bogotá, e Miguel (“O Senhor”) na de Valledupar, cidade do nordeste do país.

No dia 17 deste mês foram capturados em Cali por efetivos da DIJIN Luis Eduardo Cuartas Soriano e Harold Vélez Restrepo, fazendo subir para 32 o número de detidos com fins de extradição aos Estados Unidos.

Segundo a mesma fonte, Cuartas era “peça fundamental no controle, financiamento e contabilidade da organização” dirigida por Rodríguez Abadía.

Vélez, por sua parte, era o “encarregado de ocultar e dar aparência de legalidade ao dinheiro proveniente da venda de entorpecentes”.