Sucessor de FHC terá mais problemas do que imagina com a falta d’água

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de agosto de 2001 as 11:51, por: cdb

O sucessor do presidente Fernando Henrique Cardoso herdará muito mais do que uma simples crise energética capaz de apagar os maiores centros urbanos do país. A distribuição de água potável, segundo cálculos do Ministério do Meio Ambiente, também está próxima do colapso, principalmente em São Paulo e outras cidades daquele estado, sem contar o polígono das secas que abrange desde o norte de Minas Gerais até o sertão nordestino, região traumatizada com a falta d’água.

O primeiro sinal de problemas para o próximo presidente veio do ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, ao confirmar que a transposição do Rio São Francisco não será iniciada durante o mandato de FHC. O projeto vai continuar constando apenas do programa de obras do governo federal. A pior seca dos últimos 70 anos e os desmatamentos nas nascentes impedem, segundo o ministro, que o rio comece a ser desviado neste momento.