STJ afasta diretor da Polícia Federal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de maio de 2007 as 16:20, por: cdb

Três delegados da Polícia Federal foram afastados, nesta terça-feira, por 60 dias por determinação da ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon, por suspeitas de vazamento de informações sigilosas e suposto envolvimento com a quadrilha que integrava a Máfia das Licitações.

O grupo fraudava licitações para obter o direito a fazer obras públicas – a maioria delas sequer foi realizada.

Os três delegados afastados são Zulmar Pimentel, César Nunes e Paulo Bezerra.

Zulmar Pimentel, diretor-executivo da PF, é o segundo homem no organograma da instituição, atrás somente do diretor-geral, Paulo Lacerda. César Nunes é superintendente da PF na Bahia e Paulo Bezerra, delegado da PF. Bezerra pediu afastamento do cargo para ocupar o cargo de secretário de Segurança Pública da Bahia.

Segundo investigações da PF, Pimentel teria avisado João Batista Paiva Santana, ex-superintendente da Polícia Federal no Ceará, que ele estava sendo investigado pela Operação Octopus (polvo).

Nunes e Bezerra, por sua vez, teriam ligação com a suposta quadrilha que fraudava licitações na Bahia. Os dois teriam sido avisados por Pimentel das investigações.

O vazamento das informações prejudicou a operação da PF, que acabou sendo congelada. Numa das ocasiões, Nunes e Bezerra mandaram prender agentes do setor de inteligência da PF que estavam investigando os dois.

A PF voltou a investigar oito empresários da área de segurança na Bahia que atuariam nos mesmos moldes da Gautama para fraudar licitações públicas realizadas pelo governo. A construtora Gautama é comandada pelo empresário Zuleido Veras, acusado de corromper políticos para vencer licitações. Veras foi preso durante a Operação Navalha.

Pimentel, que está fora de Brasília, já foi informado sobre o afastamento. Ele deve retornar ainda nesta terça-feira para a capital federal e dar explicações sobre o caso.

No caso de Bezerra, a PF não soube explicar se a determinação de afastamento dada pelo STJ afeta a Secretaria de Segurança Pública da Bahia. É que ele já está afastado do cargo de delegado da PF.

Intimação

Eliana Calmon intimou na noite de ontem o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau e os governadores de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), e do Maranhão, Jackson Lago (PDT), a prestarem depoimento sobre o esquema de fraudes em licitações para a realização de obras públicas, desmontado pela Operação Navalha, da Polícia federal.

Os depoimentos foram marcados para amanhã. Além deles, no mesmo dia, a ministra deve ouvir o deputado distrital Pedro Passos (PMDB) e Ulisses César Martins de Sousa, conselheiro federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).