SP: reintegração de posse despeja 4,5 mil moradores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de outubro de 2015 as 11:18, por: cdb

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

A reintegração de posse no terreno da ocupação Morada do Sol, onde viviam 4,5 mil pessoas, começou na manhã desta segunda-feira. Cerca de 800 famílias moravam no local, no extremo sul da capital paulista, há 2 anos e 3 meses. A maioria das casas é de alvenaria, por isso, a ação de remoção das retroescavadeiras deve durar até o fim do dia.

O terreno de 395 mil metros, na Estrada do Barro Branco, é particular e de difícil acesso. Segundo o tenente-coronel Celso, do 50º Batalhão da Polícia Militar, isso prejudicou o trabalho da polícia. Participaram da ação, homens da cavalaria, da Tropa de Choque, com o apoio de oito máquinas retroescavadeiras e de dez caminhões para retirar os pertences dos moradores.

A maioria das casas é de alvenaria, por isso, a ação de remoção das retroescavadeiras deve durar até o fim do dia
A maioria das casas é de alvenaria, por isso, a ação de remoção das retroescavadeiras deve durar até o fim do dia

Quando a polícia chegou, às 6h, 90% dos moradores já haviam deixado, de acordo com o tenente-coronel, embora alguns tenham ficado e ateado fogo a barracos e a entulhos. Havia pelo menos cinco focos de incêndio por volta das 9h30. Raimundo Nonato Ribeiro da Silva, líder da ocupação, explica que as pessoas resolveram abandonar as casas na última terça-feira, após uma ação da PM dentro da ocupação.

– Na terça-feira, teve confronto, teve barricada, bomba, gente ferida por bala de borracha. Nesse dia, os moradores desistiram de continuar, porque quem é que vai querer ficar no meio de uma guerra?”, questionou. Raimundo relata que a truculência da polícia causou pânico. “A polícia derrubou em torno de dez casas, mas recuou porque não tinham a ordem naquele dia – acrescentou.