Sorologia confirma leishmaniose visceral em Marabá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de março de 2012 as 13:43, por: cdb

13/03/2012 – 16:37Sorologia confirma leishmaniose visceral em Marabá

Há mais de um mês a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) tenta desvendar uma das causas da morte de uma idosa moradora do bairro Amapá. No atestado de óbito, dentre outras causas, estava leishmaniose visceral. Mas, investigações preliminares, descartaram a possibilidade de a contaminação ser autóctone. Esta semana, resultado de uma das últimas sorologias de animais de vizinhos à casa da falecida confirmou um cachorro com a tal doença.

Este ano, outros três casos de leishmaniose visceral foram notificados em Marabá, todos descartados em exame laboratorial. O quarto caso, notificado em Goiânia, cuja vítima veio a óbito, está confirmado. Trata-se de uma zoonose comum ao homem e aos cães, que carece de um mosquito para transmitir o protozoário (microrganismo) causador da doença. Exames entomológicos descartaram a presença de flebotomíneos em áreas contíguas à residência da falecida.

Segundo a Vigilância em Saúde da SMS, as pessoas envolvidas (familiares da morta e donos do cachorro) foram avisadas. O cão que atende pelo nome de Dreed será recolhido ao Centro de Controle de Zoonoses, tão logo o carro que serve a Carrocinha volte da oficina, o que está previsto para esta quarta-feira.

A população deve ficar atenta aos sintomas da leishmaniose visceral, que diferentemente da cutânea (tegumentar americana), ataca internamente (fígado e baço) os seres contaminados pelo microrganismo, que tem vários meses de incubação até surgiram as sintomatologias da doença.

Os principais sintomas e sinais da leishmaniose visceral são: Apatia (desânimo, fraqueza, sonolência); perda de apetite; emagrecimento rápido; pelos opacos, descamação e perda de pelos; crescimento anormal das unhas (onicogrifose) com o avanço da doença; aumento abdominal (“barriga inchada” pelo aumento do fígado e do baço); problemas oculares (olho vermelho, secreção ocular); diarreia, vômito e sangramento intestinal.