Sonda da Nasa coleta poeira de cauda de cometa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de janeiro de 2004 as 09:44, por: cdb

Uma sonda da Nasa (a agência espacial americana) realizou um feito inédito nesta sexta-feira, coletando material da cauda de um cometa a cerca de 390 milhões de quilômetros da Terra.

A sonda Stardust permaneceu no rabo do cometa Wild-2 durante oito minutos, ficando a apenas 250 km da superfície dele.

Os cientistas acreditam que o material recolhido pode conter informações preciosas sobre a história do sistema solar.

Agora, a sonda seguirá uma trajetória de retorno à Terra, jogando as partículas do cometa, coletadas em um artefato, na superfície do planeta.

Imagens

De acordo com a Nasa, a análise da missão da Stardust mostrou que a sonda funcionou perfeitamente durante sua missão na cauda do Wild-2.

“O cometa cooperou mais do que nós poderíamos ter esperado, e a sonda trabalhou maravilhosamente bem”, disse Don Bownlee, cientista da Universidade de Washington, um dos responsáveis pela missão da Stardust.

O Wild-2 tem um diâmetro de 5,4 km e passou perto da Stardust a uma velocidade de 21.960 km/h.

A sonda está agora enviando mais de 30 horas de informações coletadas durante o encontro, entre elas mais de 70 imagens.

Cápsula do tempo

As que já chegaram à Terra mostraram o núcleo esférico do cometa, coberto de grandes crateras.

“Os cometas são feitos de gelo, são muito frios e vem sendo frios desde que foram formados”, disse o cientista britânico Simon Green, que também trabalha no projeto.

“(O frio) protege o material do qual eles foram feitos (…) de forma que eles não mudaram desde que se formaram, justamente no começo da formação do sistema solar.”

“Por isso, podemos ter uma pequena cápsula do tempo, nos mostrando como as coisas eram há 4,5 Bilhões de anos”, explicou Green.