Solidão leva crianças à internet, diz pesquisa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de maio de 2007 as 22:33, por: cdb

Uma pesquisa entre mais de 2 mil crianças britânicas revelou que 60% delas utilizam sites de bate-papo na internet para combater a solidão e 53% para compartilhar seus problemas. O estudo, realizado pela organização britânica de proteção à criança National Society for the Prevention of Cruelty to Children (NSPCC), constatou também que 50,4% dessas crianças já viveram experiências desagradáveis na rede, incluindo intimidação, ameaças ou assédio sexual.

Ao todo 2.053 crianças, a maioria com idades entre 11 e 16 anos, participaram da pesquisa. Do total, 1.187 eram meninos e 866, meninas.

Mais da metade dos jovens, um total de 1.071, disseram que visitam sites de bate-papo ao menos uma vez por dia.

Quando perguntados sobre as razões pelas quais visitam os sites, cerca de 90% dos participantes responderam que usam a internet para fazer amigos e 80% para fazer contato com pessoas conhecidas.

Mais de 60% usam a rede para encontrar pessoas parecidas com elas e “receber conselhos de pessoas da mesma idade”. Cerca de 55% usam a internet para saber que não estão sozinhas.
Ajudar um amigo em situação difícil ou buscar apoio quando em uma situação difícil também foram respostas comuns.

A NSPCC manifestou preocupação com a popularidade de sites como Bebo ou MySpace, visitados diariamente por 52% dos entrevistados.

A pesquisa é parte de uma campanha da entidade para encorajar as crianças a denunciar abusos sofridos em sites de bate-papo.

– Crianças sofrem ameaças reais na internet, como abordagens sexuais, intimidação, exposição a imagens violentas, pornografia e outros materiais inapropriados -, disse Mary Marsh, diretora da NSPCC.

Estudos anteriores revelam que uma em cada três crianças que utilizam a internet já recebeu comentários sexuais indesejados pela rede ou por torpedo. Quase a metade (46%) já deu dados pessoais, incluindo fotografias e número do telefone, a alguém que conheceu na internet.

Meninas que ligaram para o telefone da NSPCC dedicado à criança disseram que marcaram encontros com meninos que conheceram em sites de bate-papo, mas ao conhecê-los descobriram que eram, na verdade, homens mais velhos procurando por sexo.

A NSPCC aconselha crianças a nunca revelar seus dados pessoais na internet, nem mesmo seu nome verdadeiro.