Soldados se rendem e tropas norte-americanas entram em Mossul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 12 de abril de 2003 as 09:09, por: cdb

O primeiro grande destacamento das tropas americanas entrou neste sábado em Mossul, a maior cidade do norte iraquiano, depois que os soldados de Saddam Hussein renderam-se sem apresentar maior resistência.

Segundo um correspondente, as tropas mantêm a segurança em pontos chave em torno da cidade.

Fortes explosões foram ouvidas na direção do aeroporto da cidade ao fim da manhã deste sábado. Apesar de não terem sido esclarecidas as causas, americanos estariam destruindo munição capturada de militares iraquianos.

De acordo com a agência Reuters, cerca de 40 veículos militares norte-americanos foram vistos entrando na cidade, muitos deles com metralhadoras pesadas e lançadores de foguetes. As tropas chegaram a Mossul vindas de Arbil, a principal cidade curda no norte do país.

Até a última sexta-feira (11), apenas um pequeno número de soldados americanos acompanhavam combatentes curdos em Mossul.

As tropas da coalizão estão agindo em conjunto com guerrilheiros curdos “peshmerga”, que avançaram de sua base nas montanhas tomando a planície iraquiana quando os soldados de Saddam depuseram armas.

Tikrit

A coalizão militar anglo-americana empenha-se agora em dominar o último grande reduto de resistência de grupos leais a Saddam Hussein, a cidade de Tikrit. A cidade natal do ditador iraquiano, a 180 quilômetros ao norte de Bagdá, está sendo bombardeada por aviões dos EUA, preparando a área para uma possível invasão por terra.

A cidade de 200 mil habitantes, às margens do rio Tigre, é o centro de onde emanava o poder de Saddam e de seu clã. Além de comandar o antigo governo, os tikritis formam também a espinha dorsal das Forças Armadas de Saddam. Por isso, a resistência na cidade pode ser mais dura do que no resto do país.

Alguns analistas acham que parte do suposto arsenal de armas de destruição em massa de Saddam, o motivo declarado desta guerra, pode estar escondido nos arredores de Tikrit. Saddam sempre negou a existência de tais armas, e até agora os EUA não as encontraram.