Soldados da unidade de elite do Exército israelense rejeitam missão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de dezembro de 2003 as 02:16, por: cdb

Quinze integrantes da reserva de uma unidade de elite do Exército israelense anunciaram que não aceitam mais realizar missões nos territórios palestinos ocupados. Os soldados enviaram uma carta ao primeiro-ministro, Ariel Sharon.

Os integrantes da reserva da Sayeret Matcal, famosa unidade especializada em operações de comando fora de Israel, declararam que não vão mais participar da ‘opressão’ dos palestinos nem da defesa das colônias judias instaladas nos territórios, segundo a carta.

– Não daremos mais nossas vidas pela opressão nos territórios e pela negação dos direitos humanos de milhões de palestinos. Não serviremos mais de escudo para as colônias judias nestes territórios – acrescenta o texto.

Unidade legendária do Exército de Israel, a Sayeret Matcal, que tem entre seus combatentes o ex-primeiro-ministro trabalhista Ehud Barak, conseguiu libertar 106 passageiros mantidos como reféns em um avião em Entebbe (Uganda), em 1976.

O anúncio acontece três meses depois que 25 pilotos militares israelenses entregaram uma carta ao comandante-chefe da Força Aérea, na qual se recusavam a executar missões de ataque nos territórios palestinos.

Também no dia 25 de janeiro de 2002, 52 oficiais e soldados da reserva do Exército anunciaram que se recusavam a servir nos territórios ocupados. Depois, recolheram centenas de assinaturas a favor desta decisão.