Soldados americanos intervêm para impedir roubo de banco em Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 17 de abril de 2003 as 19:22, por: cdb

Uma tentativa de furto de um dos bancos iraquianos causou grande confusão esta quinta-feira no centro de Bagdá e levou os soldados americanos a intervirem para prender os ladrões e conter mais de mil pessoas que se postaram diante da instituição. Os manifestantes eram, na maioria, clientes que ficaram sabendo do saque e foram ao local exigir seu dinheiro de volta.

Os saqueadores abriram um buraco com dinamite nas paredes de uma agência do Banco Al-Rashid, cujos depósitos de cerca de US$ 4 milhões, e enviaram crianças (na maioria, seus filhos) para entrar no prédio e pegar o dinheiro. Com a chegada da multidão, dois homens com fuzis automáticos Kalashnikov dispararam para o ar para amedrontar as pessoas. Uma patrulha das forças especiais dos EUA solicitou reforços para conter os manifestantes e pôr fim ao saque. Logo chegou um pelotão do Exército.

Os soldados prenderam 12 pessoas dentro do banco, vários deles adolescentes, e foram aplaudidos pela multidão. Os pais dos garotos choravam e pediam que eles fossem libertados. Em determinado momento, os militares apontaram para um grupo de homens que se aproximaram dos carros de combate. A situação só se acalmou com a mediação de um popular que falava inglês e pediu, por alto-falante, que as pessoas se afastassem dos veículos blindados e não se preocupassem pois o dinheiro seria levado para local seguro.

“Essas pessoas querem receber o dinheiro e acreditam que ele lhes pertence, mas não entendem que a distribuição adequada não faz assim, dando o dinheiro que lhe pertence”, disse o coronel do Exército americano Philip DeCamp.

Os fuzileiros navais também retiraram para custódia americana bolsas de dinheiro de duas agências bancárias em diferentes bairros. Numa delas, no sul de Bagdá, depois de um tiroteio com saqueadores. Um dos assaltantes foi morto e cinco presos.

Num balanço hoje da situação, o general Tommy Franks, comandante das operações dos EUA no Iraque, disse que os saques diminuíram em todo o país na última quarta-feira (16) 2.200 civis se ofereceram como voluntários para atuar como policiais desarmados, o que facilitará o patrulhamento para manter a ordem nas principais cidades.

Cerca de 300 policiais iraquianos vigiavam nesta quinta-feira as ruas da capital iraquiana, em uma ação conjunta com as tropas dos EUA. A força combinada deteve cerca de 400 saqueadores, segundo o sargento José Guillén, de uma unidade de infantaria.