Sociedade de Ortopedia não registra queixas de usuários de próteses metálicas de quadril

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 11 de março de 2012 as 14:10, por: cdb

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia informou que não há registro de queixas de usuários de próteses de quadril feitas de metal. A entidade médica decidiu se manifestar depois que pesquisa divulgada em revista britânica apontou que as próteses metálicas de quadril podem causar problemas à saúde. De acordo com o estudo, a fricção entre as peças metálicas, de cromo e cobalto, libera íons que afetam tecidos, músculos e causam intoxicação no organismo.

Cerca de 10 mil pacientes implantam próteses de quadril a cada ano. De acordo com os médicos, os produtos, usados há mais de 40 anos no país, eram, no início, totalmente metálicos. Atualmente, as próteses mais usadas são de polietileno (plástico) e cerâmica, sem risco de liberar íons metálicos.

A sociedade médica diz que o tema vem sendo discutido em congressos de medicina, mas que “não há um único caso em que se comprove o efeito negativo identificado no trabalho realizado na Inglaterra”.

A recomendação é que os pacientes com próteses de quadril metálicas procurem seus médicos para tirar as dúvidas. Em alguns casos, podem fazer exames para certificar as condições das próteses.

Edição: Graça Adjuto