Sob pressão, Blatter renuncia à Presidência da Fifa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de junho de 2015 as 14:28, por: cdb
Blatter, de 79 anos, anunciou a decisão em entrevista coletiva em Zurique
Blatter, de 79 anos, anunciou a decisão em entrevista coletiva em Zurique

 

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, renunciou ao cargo nesta terça-feira, quatro dias após ser reeleito para um quinto mandato.

Blatter, de 79 anos, anunciou a decisão em entrevista coletiva em Zurique dias após uma operação do FBI que resultou na prisão de dirigentes do esporte, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin.

Na última sexta-feira, Blatter foi reeleito para o seu quinto mandato à frente da federação internacional do futebol. A votação foi para o segundo turno, mas o concorrente o príncipe jordaniano Ali bin Al Hussein, 39 anos, desistiu da candidatura.

Nem mesmo as recentes denúncias de corrupção envolvendo alguns dos principais dirigentes da federação foram capazes de alterar os rumos da eleição.

– A Fifa tem sido minha vida… o que importa mais para mim é a Fifa e o futebol ao redor do mundo – disse Blatter.

– Um congresso extraordinário será convocado para a eleição do meu sucessor o mais rápido possível – acrescentou.

Corrupção na Fifa

Na manhã da última quarta-feira ), policiais suíços prenderam, em Zurique, o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin, e mais seis dirigentes esportivos: Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Eugenio Figueredo e Rafael Esquivel. No final da tarde do mesmo dia, o ex-vice-presidente da Fifa Jack Warner entregou-se às autoridades de Trinidad e Tobago, na América Central. Warner foi liberado após pagar fiança de US$ 400 mil.

Nove dirigentes da Fifa e cinco empresários esportivos de várias nacionalidades – entre eles os sete já presos – foram denunciados à Justiça norte-americana, suspeitos de cobrar propinas ao negociar contratos de direitos de transmissão de jogos organizados pela Fifa ou por entidades a ela associadas. As autoridades norte-americanas também investigam indícios de fraude na escolha dos países-sede das duas próximas copas do Mundo (Rússia, 2018, e Catar, 2022). Segundo a Promotoria de Justiça de Nova York e o FBI (Polícia Federal dos Estados Unidos), o esquema pode ter movimentado mais de US$ 150 milhões em mais de duas décadas.

Duzentos e nove delegações tinham direito a voto na escolha do presidente da federação. Devido ao retorno repentino do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, ao Brasil, o país foi representado pelo presidente da Federação de Futebol do Ceará, Mauro Carmélio.