Smads é destaque no 4º Simpósio Internacional de Comércio Justo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 10:20, por: cdb

Smads é destaque no 4º Simpósio Internacional de Comércio Justo

O projeto “A Loja Social como Proposta de Inclusão e Geração de Renda”, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smads), foi premiado como um dos melhores trabalhos apresentados durante o 4º Simpósio Internacional de Comércio Justo, realizado no início do mês de abril no Reino Unido.

Pela primeira vez a Prefeitura de São Paulo teve um espaço acadêmico para expor um trabalho desenvolvido no município: o projeto A Loja Social como Proposta de Inclusão e Geração de Renda, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smads), foi premiado como um dos melhores trabalhos apresentados durante o 4º Simpósio Internacional de Comércio Justo, realizado no início do mês de abril na cidade de Liverpool, no Reino Unido.

Segundo a vice-prefeita e secretária municipal de Assistência Social, participar de um evento dessa magnitude significa que o trabalho desenvolvido na Smads está funcionando de maneira correta. “É satisfatório receber um convite de âmbito internacional e ainda poder divulgar nossas ações para outros países” afirma.

O evento foi sediado pela Hope University Business School e organizado por uma comunidade acadêmica, que inclui a Fairness Network e a GeoFairTrade Project, entre outras,  que atuam com comércio justo em todo mundo. Além de discutir formas para aproximar produtores e consumidores do comércio justo de todo o país, com foco em uma economia inclusiva e socialmente justa, o simpósio também apresentou trabalhos de autores de várias partes do mundo que atuam junto a comunidades da África, Ásia e Europa, previamente selecionados por um comitê científico formado por professores de universidades renomadas como a Universidade de Oxford e a própria Hope University.

Na ocasião, os participantes também receberam um exemplar do livro Inclusão Produtiva na Cidade de São Paulo. De autoria de Katia Cilene Gregório e Cristina Giugno Neves, a obra relata a experiência de 35 organizações que utilizam a inclusão produtiva como estratégia para inclusão social. O livro também passou a fazer parte do acervo da Craft Council, hoje uma referência do artesanato do Reino Unido.

Outras premiações

Esse é o terceiro prêmio que a Smads recebe nos últimos três anos. Em 2010, a Secretaria foi laureada com o Prêmio Rosani Cunha, que valoriza ações integradas para proteção e promoção social. A Smads concorreu na categoria Práticas de Governos Municipais e a indicação foi pelo trabalho desenvolvido em São Paulo com o Programa BPC na Escola – Uma Experiência Inovadora na Cidade de São Paulo. Foram realizadas visitas domiciliares a aproximadamente 14 mil beneficiários, com um questionário que tinha como objetivo identificar as barreiras que impedem a criança e o adolescente com deficiência de zero a 18 anos de frequentar a escola e permanecer nela.

Em 2012, o projeto Direito à Informação: uma estratégia para tornar acessível a situação de benefícios dos programas de transferência de renda, idealizado pelos gestores da Smads, Luiz Fernando Francisquini e Rafael Tartaroti, foi um dos grandes vencedores do Concurso Nacional de Boas Práticas de Gestão promovido pelo Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas). Estruturado em conjunto com a Central de Atendimento 156, o projeto funciona através de um instrumento denominado “link de consulta”, um método de informar as famílias sem a necessidade de abrir um protocolo, trazendo resposta imediata na primeira chamada e sem custos à família.