Slobodan Milosevic volta a desafiar tribunal internacional de Haia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de dezembro de 2001 as 18:48, por: cdb

O ex-presidente da Iugoslávia, Slobodan Milosevic, se recusou novamente a argumentar em sua defesa no Tribunal Criminal Internacional de Haia, na Holanda. Milosevic foi indiciado formalmente pelo tribunal que investiga crimes de guerra na ex-Iugoslávia e acusado de comandar o genocídio cometido durante a guerra civil na Bósnia. Essa é a quarta vez que ele é intimado ao tribunal.

Slobodan Milosevic tentou fazer um novo ataque à legitimidade do tribunal, mas foi calado pelo juiz Richard May. Já na primeira vez que compareceu a Haia, ele questionou os poderes do tribunal e como Milosevic não quis se defender, a corte de Haia formulou uma declaração de inocência em nome do ex-líder iugoslavo. O procedimento já havia ocorrido nos indiciamentos sobre crimes cometidos em Kosovo e Croácia.

Por mais de uma hora, Milosevic ouviu a lista de 29 acusações de genocídio, assassinato e tortura durante a guerra da Bósnia. Durante a leitura, o ex-presidente iugioslavo demonstrou impaciência, olhando para o seu relógio.

Promotores no processo da Bósnia acusam Milosevic de participar de um operação criminosa em conjunto, que o envolveria em todas as atrocidades praticadas por sérvios da Bósnia durante a guerra e entre os crimes, estão a expulsão de mais de 250 mil pessoas e o massacre de mais de 7 mil muçulmanos na cidade de Srebenica, em 1995.

O julgamento de Milosevic envolvendo acusações relacionadas ao conflito de Kosovo está previsto para começar em 12 de fevereiro, mas os promotores deverão solicitar ao tribunal que reúna os três indiciamentos em uma única ação. Com isso, o julgamento começaria alguns meses mais tarde do que o inicialmente previsto.

A justificativa usada para a concentração das acusações será a de que o ex-presidente iugoslavo foi o mentor intelectual de um plano para incorporar as áreas povoadas da Croácia, da Bósnia e de toda a província de Kosovo num grande Estado sérvio.