Síria e Bahrein anunciam abertura para negociações com a oposição

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 31 de maio de 2011 as 13:55, por: cdb

Da Agência Lusa

Brasília – Depois de vários protestos em clima de violência, os governos da Síria e do Bahrein sinalizaram hoje (31) que pretendem dialogar com a oposição. No Bahrein, as negociações para o fim do impasse devem começar em julho. Na Síria, o dirigente do partido do presidente sírio, Bashar Al Assad, Mohammad Saïd Bkheitane, disse que será criada até quinta-feira (2) uma comissão para o diálogo nacional.

“A comissão para o diálogo é composta por todas as correntes [políticas] e por personalidades ligadas à política, economia e sociedade. Os mecanismos de diálogo serão anunciados dentro de 48 horas”, afirmou Bkheitane, que é considerado o segundo do partido, depois de Assad.

Desde março, a Síria convive com manifestações diárias contra o governo. Os manifestantes reclamam da violência e opressão do governo Assad, assim como há denúncias de desvios de recursos e violações de direitos humanos. Segundo as organizações de defesa dos direitos humanos, pelo menos 1,1 mil civis foram mortos e mais de 10 mil pessoas foram detidas por autoridades policiais.

O rei do Bahrein, Hamad Ben Issa Al Khalifa, anunciou hoje que dentro de um mês – a partir do dia 1º de julho – pretende abrir para o diálogo nacional. Neste mesmo período será encerrado o Estado de Emergência no país imposto na tentativa de conter os protestos. Segundo ele, as negociações serão integradas pelo Executivo e Legislativo em busca de um consenso nacional.

O monarca sunita, que dirige um país com população de maioria xiita, enfrenta protestos desde março. Os manifestantes pedem mais oportunidades de trabalho e menos discriminação em relação aos xiitas. Mas as manifestações se transformaram em críticas ferozes contra a gestão de Khalifa.