Sindicatos pressionam bancos privados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 17 de abril de 2012 as 17:24, por: cdb

Por Michelly Cyrillo, no jornal ABCD Maior:Os sindicatos de diversas categorias irão se unir em uma mobilização nacional para pressionar a redução da taxa de juros nos bancos privados. No ABCD, a ação começa com uma reunião nesta terça-feira (17/04), entre os representantes dos CSEs (Comitês Sindicais de Empresas) das empresas da base do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para discutir como será o movimento nas fábricas.Na semana passada, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil anunciaram a redução dos juros em um estratégia do governo para estimular o consumo interno pelo aumento do crédito. Depois dos bancos públicos, o HSBC foi o primeiro do setor privado a reduzir as taxas. As reduções são nas linhas de crédito para pessoa física e micro e pequenas empresas, cheque especial e financiamento de veículos. A taxa anual do cheque especial da Caixa baixou 67%, os clientes com conta salário terão redução de 8,18% para 3,50% ao mês. Além disso, a Caixa criou um novo cartão de crédito para clientes que recebem salários no banco com taxas reduzidas de 12,86% para 2,85% ao mês. No financiamento de veículos, a taxa caiu para 0,98% ou 0,99%, o índice mínimo ao mês nos bancos que já anunciaram a redução.Mudar de banco“Vamos informar os trabalhadores sobre as reduções nas taxas de juros dos bancos públicos e do HSBC. O que acontece é que as nossas empresas muitas vezes trabalham com bancos privados, então vamos orientar os trabalhadores a cobrarem desses bancos a redução da taxa também. Se não, o que irá acontecer é a substituição pelos bancos com taxas menores”, disse o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre.Na segunda-feira (16/04), representantes dos sindicatos dos metalúrgicos do ABC, bancários, servidores públicos, petroleiros, entre outros se reuniram na sede da Fetec (Federação dos Bancários), na Capital, para discutir outras ações desta mobilização. “Será uma ação em conjunto com várias categorias e centrais sindicais em todo o Brasil. Se a Caixa, Banco do Brasil e o HSBC podem reduzir, todos podem. Menos juros é mais dinheiro no bolso do trabalhador, mais consumo e mais produção e emprego. Vamos começar realizando reuniões com os CSEs para tentar viabilizar uma negociação conjunta nas empresas para pressionar a redução dos juros nos bancos privados, afirmou o sindicalista”.Representantes da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) participaram de uma reunião no Ministério da Fazenda na semana passada para negociar contrapartidas como reduções tributárias do governo federal para que adotem medidas para redução dos juros dos bancos privados. Mas até o momento não houve avanços entre a entidade e o governo federal.