Simone Biles chega ao Rio como favorita na ginástica artística

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de agosto de 2016 as 13:51, por: cdb

Ela já é a ginasta feminina mais bem-sucedida em campeonatos mundiais, com 10 ouros conquistados, e no ano passado se tornou a primeira mulher a conquistar uma trinca de títulos mundiais

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro:

 

Só existe uma pessoa que parece capaz de derrotar a ginasta norte-americana Simone Biles na Olimpíada do Rio: Simone Biles.

Transbordando talento e estilo no seu 1,45 metro de altura, ao longo dos últimos três anos ela vem acumulando inúmeros recordes e mostrando ser sem igual no esporte.

Ela já é a ginasta feminina mais bem-sucedida em campeonatos mundiais
Ela já é a ginasta feminina mais bem-sucedida em campeonatos mundiais

Ela já é a ginasta feminina mais bem-sucedida em campeonatos mundiais, com 10 ouros conquistados, e no ano passado se tornou a primeira mulher a conquistar uma trinca de títulos mundiais no individual geral da ginástica artística.

Ter conquistado três ouros apesar de ter cometido erros nos três aparelhos em que se sai melhor dá a medida do que ela é capaz, e do que outras não são.

– Isso me ensinou que preciso relaxar um pouco mais e não aceitar a badalação e a pressão que todos colocam em mim – disse a atleta de 19 anos à agência inglesa de notícias Reuters.

Suas habilidades fazem com que ela, que foi apelidada de ‘$imoney’ (um trocadilho com ‘Simone’ e ‘money’) seja a franca favorita para realizar um feito inédito para as mulheres desde que a ucraniana Lilia Podkopayeva conquistou os títulos mundial e olímpico do individual geral da ginástica artística ao mesmo tempo em 1996.

Hipismo

Com a responsabilidade de ser o primeiro brasileiro a desenhar a pista para a competição de saltos do hipismo em Jogos Olímpicos, Guilherme Jorge garantiu que o percurso do Rio de Janeiro será desafiador e irá testar todas as habilidades de cavalos e cavaleiros.

O armador de percurso relevou ainda, em entrevista à Reuters, que os obstáculos da pista farão referência ao Rio e a outros locais do Brasil.

– A ideia é testar todas as áreas possíveis dentro dos padrões do esporte para que o campeão olímpico realmente seja o melhor naquela semana – disse Jorge, que vai armar cinco percursos no Complexo de Deodoro, onde serão realizadas as provas de hipismo.

Ele explicou que a pista vai testar todos os conceitos da equitação, como a qualidade e força do cavalo, o cuidado do cavalo ao saltar, a habilidade do cavaleiro de interpretar e analisar os obstáculos, como ele vai transmitir isso para o cavalo, e a afinidade entre cavalo e cavaleiro.

– O nível técnico dos cavaleiros está muito alto, então os percursos vão ter também na Olimpíada um nível bastante alto – afirmou.

Segundo Jorge, os percursos serão ajustados durante a competição de acordo com o desempenho dos cavaleiros.

– Se eles estiverem saltando muito bem, a gente dificulta mais. Se, por alguma razão, eles não saltarem tão bem, a gente não precisa dificultar tanto, dentro de um padrão mínimo exigido pelo regulamento da FEI (Federação Equestre Internacional) – explicou.

Os obstáculos desenhados pelo armador de percurso, que saltou até os 17 anos, terão o país como tema. “Os obstáculos são temáticos, alusivos à cultura do Rio e algumas outras partes do Brasil. Tem monumentos, tem parte da história”, disse.