Sidney Beraldo é eleito presidente da Assembléia Legislativa de SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de março de 2003 as 10:30, por: cdb

Por unanimidade dos votos, o deputado estadual Sidney Beraldo (PSDB) foi eleito presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo para os próximos dois anos.

Beraldo é empresário, professor de administração da Faculdade de Administração da Fundação de Ensino Otávio Bastos. Foi vereador (1977/1982) e prefeito (1983/1988) em São João da Boa Vista pelo então MDB. Em 1989, filiou-se ao PSDB. Foi reeleito em outubro de 2002 para seu terceiro mandato como deputado estadual, obtendo 81.323 votos. Já exerceu a 1.º Vice-presidência da Assembléia Legislativa e a liderança da bancada do PSDB.

A escolha de Beraldo resultou de acordo entre o PSDB e o PT, as duas maiores bancadas da Casa. Beraldo tem bom diálogo com o PT e deve pavimentar um acordo das duas legendas para que não haja um clima de oposição sistemática nas duas esferas de governo, federal e estadual.
“Vivemos um momento democrático. O PT à frente da Presidência da República e o PSDB no governo de São Paulo. Os dois partidos têm hoje mais responsabilidades, tanto no governo quanto na oposição”, disse Beraldo na coletiva de imprensa.

Agenda positiva

O novo presidente da Assembléia considera que há um clima positivo para que se estabeleça uma agenda positiva, que contemple um projeto estratégico de desenvolvimento econômico, a promoção da justiça social e o combate à violência.

Entre os principais desafios, apontou como primeiro passo a agilização do processo legislativo. Em sua avaliação deve ser pautada na Assembléia a mudança do seu Regimento Interno, para que o Parlamento seja mais ágil e possa corresponder de forma imediata aos avanços da sociedade moderna.

Em segundo lugar, destacou a continuidade da promoção de maior transparência do Parlamento. “Acabamos com a imunidade parlamentar e com o voto secreto. Porém, queremos plenários cheios, a participação popular nas audiências públicas e nas comissões.”

Reformas

As reformas tributária, previdenciária e política, conduzidas no âmbito federal, terão grande repercussão no âmbito dos estados. Beraldo considera essencial a integração com o Congresso Nacional e a formação na Assembléia de comissões específicas de acompanhamento das reformas.

Acrescentou também a questão da violência. Ainda sob o impacto da morte do juiz corregedor Antônio José Machado Dias, o presidente conferiu especial atenção ao quadro do sistema penitenciário. Segundo ele, o avanço do crime organizado deve ter resposta e reação pronta da sociedade. Alterações nos sistemas penal e penitenciário são urgentes, segundo ele.

“Onde vamos parar com o atual modelo? O orçamento da Secretaria de Administração Penitenciária apresenta nos últimos anos um crescimento bem superior aos da Educação e da Saúde. O assunto deve merecer muita discussão e muita reflexão nesta nova legislatura.”

O presidente encerrou a sessão de sábado anunciando para a segunda-feira, 17/3, a vinda do governador Geraldo Alckmin à Assembléia Legislativa para celebrar a instalação da XV Legislatura.