Shows revitalizam espaço no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 18 de janeiro de 2002 as 22:14, por: cdb

A inauguração do Armazém nº 5 do Cais do Porto, no domingo, com a final do festival Rock de Garagem e show do grupo Rappa, é o primeiro passo para revitalizar a zona portuária no Rio. O local, arrendado à Companhia de Docas pelo Instituto Rioarte, da Secretaria das Culturas, tem 3.500 metros quadrados, três palcos e espaço para cinco mil pessoas. “É uma versão ampliada do Centro Cultural Sérgio Porto, que funciona na zona sul há 15 anos. Em seis meses, abriremos a galeria de arte, com 170 metros quadrados”, promete o presidente do Rioarte, Fábrio Ferreira.

“Melhoramos a iluminação das redondezas e abrimos um estacionamento. Quem não tem carro pode pegar qualquer um dos ônibus que vão para a Avenida Brasil e passam em frente ao armazem.” Os planos para a área, que vai do bairro do Caju, na zona norte, até a Praça Mauá, no centro da cidade, são ambiciosos, e prevêem da construção de uma versão carioca do Museu Guggenheim, a melhorias da área habitada, por uma população estimada em 40 mil pessoas. Era uma das zonas mais movimentadas da cidade até os anos 60, mas com a mudança nos portos das grandes cidades, que trocaram os grandes armazéns por contêineres, foi abandonada e hoje é quase uma cidade fantasma. A Prefeitura sonha revitalizá-la, a exemplo do que aconteceu em Nova York, Barcelona, Boston, Londres e Buenos Aires, desde o fim dos anos 80. Os planos, no entanto, não têm encontrado apoio na iniciativa privada.

Ao tomar posse, o prefeito César Maia atacou de novo o problema. Além de ter pago US$ 2 milhões à Fundação Guggenheim para um estudo de viabilidade da instalação de uma unidade de seus museus no Rio, alugou outro armazém para a escola de Companhia de Dança De Anima, dirigida pelo ex-primeiro bailarino do Ballet Sttutgart, Richard Cragum, e facilitou a vinda da Fundação Vitra, especializada em design, para a região. Só na reforma do Armazém nº 5, já foram investidos R$ 600 mil.

“No segundo semestre, vamos inaugurar outro espaço, mais voltado para as artes plásticas, com projeto de Daniela Thomas”, adianta Ferreira. “Por enquanto a programação do Armazém será voltada para o carnaval, mas depois terá shows semanais.”