Setor industrial tem sido o mais afetado, diz Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de janeiro de 2005 as 14:44, por: cdb

O setor industrial tem sido o mais afetado com a performance irregular do Produto Interno Bruto ao longo dos últimos anos, intercalando taxas modestas de crescimento com momentos de crescimento quase nulo.

– Felizmente, essa tendência foi revertida neste ano, quando foram alcançadas, após um ajuste duro e necessário, condições macroeconômicas sólidas e favoráveis à continuidade do novo ritmo de crescimento.

A afirmação foi feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva à edição de janeiro da revista Indústria Brasileira, uma publicação da CNI, Sesi,Senai, e IEL.

O presidente lembrou que a indústria brasileira sempre teve papel fundamental no desenvolvimento do país.

– Neste momento, (a indústria) tem contribuído de forma expressiva com o esforço exportador, além de apresentar perspectivas positivas também quanto ao mercado interno – em que o consumo tem aumentado significativamente, em especial no setor de eletrônicos e bens duráveis – disse Lula.

Para ele, o desafio agora é disponibilizar maiores investimentos em capacidade instalada para manter o ritmo de crescimento das exportações, aumentar o valor agregado às mesmas e acompanhar as necessidades de abastecimento do mercado interno, de forma alinhada com o ritmo de crescimento da economia.

– Já no que diz respeito às pequenas indústrias, o desafio é o da atuação consorciada, do processo de associativismo, com vistas a reduzir custos de suprimento e produção e ganhar escala para ter melhores condições de competir no mercado globalizado – afirmou.

Lula também disse que é preciso desenvolver no país a cultura empreendedora internacional, “que é ainda incipiente em alguns setores, com estratégias mais ousadas de presença permanente no mercado externo”.

O presidente defendeu a criação de mais multinacionais brasileiras, pois, segundo ele, não existem grandes economias sem grandes empresas internacionalizadas.

– O potencial deste país é imenso e o momento que estamos vivendo, dos mais auspiciosos. Quem confiar no Brasil e no povo brasileiro não vai se arrepender – disse.