Sessão do Congresso para analisar vetos é encerrada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de outubro de 2015 as 14:04, por: cdb

Por Redação, com Reuters e Agência Câmara – de Brasília:

A sessão do Congresso Nacional para análise de vetos da presidenta Dilma Rousseff marcada para esta quarta-feira foi encerrada mais uma vez por falta de quórum, informou a secretaria do Congresso Nacional.

A sessão, que na véspera já fora adiada por falta de quórum, chegou a ser suspensa por 30 minutos, mas teve que ser encerrada. Na pauta dos vetos de Dilma que precisam ser apreciados por deputados e senadores estão dois que teriam impacto nas contas públicas se derrubados: o reajuste aos servidores do Judiciário e a ampliação da política de reajuste do salário mínimo para todos os aposentados.

Congresso
Pela segunda vez na mesma semana a sessão no Congresso foi encerrada por falta de quórum

– É evidente que há uma deliberada decisão no sentido de não haver quórum na Câmara dos Deputados. No Senado Federal temos quórum, a exemplo do que aconteceu ontem – disse o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Estava na pauta vetos polêmicos, como o aumento salarial de servidores do Judiciário e o reajuste de aposentadorias do Regime Geral da Previdência Social. As votações desses vetos já foram adiadas duas vezes, por falta de acordo e de quórum.

A oposição passou a sessão cobrando o encerramento.

– A posição politica da Casa é no sentido de não votar o veto hoje, está claro – disse o líder do DEM, deputado Mendonça Filho.

Logo no início da sessão, o deputado Pauderney Avelino (DEM-AM) pediu o encerramento da sessão pela falta de quórum para votação, mas Renan Calheiro garantiu o prazo de 30 minutos de breves comunicações – em que a palavra é dada para os parlamentares discursarem sobre assuntos diversos – para que o número de presença fosse atingido.

Para o deputado Danilo Forte (PSB-CE), os deputados estão insatisfeitos com a relação da Câmara com o Executivo.

– Os deputados estão insatisfeitos com essa postura de tentar tratar essa Casa como balcão de negócios. A Câmara exige respeito – disse.

O líder da Rede, deputado Miro Teixeira (RJ), chegou a insistir para que o presidente do Congresso ordenasse o encerramento das comissões para que os deputados fossem forçados a ir ao Plenário. Ele explicou que enquanto não se votar os vetos, na prática, eles estão mantidos.

O líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE), apelou pela presença dos deputados.

– A economia brasileira precisa que essa votação ocorra hoje. Esse Congresso precisa apreciar os vetos – afirmou.