Serviço secreto de Saddam matou dois diplomatas japoneses,diz iraquiano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de dezembro de 2003 as 10:31, por: cdb

 O serviço secreto do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein está por trás do recente assassinato de dois diplomatas japoneses, que teriam sido escolhidos como alvo por causa do apoio de Tóquio à ocupação norte-americana, disse o chanceler interino do Iraque em entrevista publicada na sexta-feira.

Esse foi um duro golpe para o Japão, cujo governo, segundo a imprensa local, está decidido a aprovar na próxima semana um polêmico plano para enviar militares ao Iraque para participar do processo de reconstrução.

Hoshiyar Zebari, membro do Conselho de Governo nomeado pelos EUA no Iraque, disse à agência japonesa de notícias Kyodo que as investigações feitas por norte-americanos e iraquianos mostraram que o atentado foi, quase certamente, obra do serviço secreto Mukhabarat, criado por Saddam e diretamente subordinado a ele. Zebari disse que a forma de escolha do alvo e da execução é típica do Mukhabarat.

O gabinete japonês deve aprovar na terça-feira a proposta de enviar cerca de mil militares ao Iraque. Comentando as declarações de Zebari, o premiê Junichiro Koizumi disse que “os japoneses não são os únicos que estão sendo alvejados”.

-Isso foi cruel, desumano e imperdoável- afirmou.

A eventual aprovação do envio de tropas não será automática, já que a decisão não deve incluir datas ou detalhes.

Koizumi disse a jornalistas na noite de sexta-feira (manhã no Brasil) que, a julgar pela avaliação de uma equipe que recentemente esteve no Iraque, os militares japoneses de fato têm tarefas a cumprir ali. “Vamos tomar uma decisão no momento adequado.”

Pesquisa divulgada pela Kyodo na quinta-feira mostra que a maioria da população se opõe ao envio imediato de tropas — só 7,5 por cento querem isso. Para 33,7 por cento, o Japão não deveria enviar soldados ao Iraque em hipótese alguma. Outros 56,3 por cento crêem que o governo deve escolher o momento adequado para isso.

Os diplomatas japoneses Katsuhiko Oku, 45, e Masamori Inoue, 30, foram mortos a tiros no sábado perto de Tikrit, cidade natal de Saddam. São os primeiros mortos japoneses no Iraque desde a invasão norte-americana, em março.

Zebari também disse à Kyodo que o Mukhabarat foi responsável pela morte de dois técnicos sul-coreanos e de sete agentes espanhóis de inteligência, no fim de semana, ao sul de Bagdá.