Serra apela a jogo de computador para associar Haddad a Dirceu e Maluf

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de outubro de 2012 as 15:36, por: cdb

Serra apela a jogo de computador para associar Haddad a Dirceu e Maluf

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 22/10/2012, 17:30

Última atualização às 17:30

Tweet

São Paulo – O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, lançou um jogo de computador que tenta associar o adversário Fernando Haddad, do PT, ao deputado federal Paulo Maluf (PP) e ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado recentemente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470, conhecida como mensalão.

“Angry Haddad”, ou seja, “Haddad nervoso”, consiste de um canhão cujas bolas de metal são as cabeças do próprio candidato, de Maluf e de Dirceu. “Tudo o que Haddad precisa para destruir São Paulo é seu apoio. Quer ver?”, desafia o aplicativo, disponível nas redes sociais. Na sequência, o usuário pode destruir uma unidade de Assistência Médica Ambulatorial (AMA), uma escola técnica, uma estação de metrô e uma unidade da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, voltada às pessoas com deficiência. “Você terminou o jogo. Mas se não quiser ver isso acontecendo de verdade, é fácil: não vote em Fernando Haddad”, diz o instrumento eletrônico quando se chega ao fim. 

Ataques

Serra vem tentando associar Haddad a Dirceu durante todo o segundo turno. Já no discurso da noite de votação, 7 de outubro, fez uma alusão ao julgamento do mensalão, tema amplamente abordado na propaganda no rádio e na TV. O tucano diz que só fala a respeito quando perguntado, embora tenha voltado a explorar o tema durante o primeiro debate televisivo deste segundo turno, na última semana, na Band.

Na ocasião, Haddad fez um convite ao adversário para que elevasse o nível da campanha e deixasse de lado quem não está envolvido diretamente na disputa pela eleição. Serra voltou a atacar, afirmando que o PT é “um partido dominado pela mentira e que cada vez mais adere aos métodos de José Dirceu”.