Seqüestrador quer R$ 500 mil e helicóptero

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de janeiro de 2002 as 18:15, por: cdb

O seqüestrador que mantém um grupo de pessoas como reféns em um microônibus que serve de táxi lotação em Porto Alegre, afirmou por telefone celular, em entrevista gravada pelo repórter Carlos Wagner, do jornal Zero Hora, que está exigindo da polícia R$ 500 mil e um helicóptero para fugir. “Eu quero dinheiro, só isso, mais nada. Não quero ferir nem matar ninguém. Quero que entendam que o que eu estou fazendo é por amor aonde eu estou, aonde eu moro, que o Olívio (governador Olívio Dutra) entenda isso”, disse chorando o seqüestrador, identificado como Paulo Ricardo da Silva D´Avila, de 30 anos.

De acordo com o sequestrador, ele não tem antecedentes criminais e entrou no lotação propositalmente para fazer reféns e tentar obter algum resgate. “Eu estou querendo uma vida melhor para minha família.” Segundo Paulo, ele estaria portando uma bomba e se preparou durante três meses para o sequestro, estudando eletrônica Paulo também afirmou que não tem antecedentes criminais.