Sendero Luminoso mata 5 militares e 2 civis peruanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de julho de 2003 as 19:30, por: cdb

Rebeldes do Sendero Luminoso atacaram uma patrulha militar em um vilarejo remoto no sudeste do Peru, matando pelo menos cinco membros das forças armadas e dois civis, disseram oficiais militares na sexta-feira.

O confronto, o pior já ocorrido no governo do presidente Alejandro Toledo, ocorreu na quinta-feira, quando soldados patrulhavam o distrito de Matucana Alto, na Província de Huanta, a 350 quilômetros a sudoeste de Lima, disse a fonte, que não quis ser identificada.

– Há problemas de comunicação com as patrulhas na área, mas temos informações sobre sete mortos, dois membros do exército e dois civis – disse a fonte.

O grupo maoísta, cujas ações foram bastante reduzidas após a captura do legendário líder Abimael Guzman, em 1992, vem lançando ataques em vilarejos remotos do sudoeste peruano nas últimas semanas.

Os rebeldes mataram um soldado em uma emboscada contra uma patrulha do exército na região no mês passado e, duas semanas antes, uma coluna de guerrilheiros seqüestrou 71 trabalhadores de um projeto de extração de gás natural por 36 horas antes de libertá-los ilesos.

Autoridades dizem que o Sendero Luminoso é hoje apenas uma sombra do que foi no passado, reunindo apenas duas ou três centenas de militantes pobremente armados em duas áreas do país. Mas alguns analistas advertem que o governo está subestimando a importância dos ataques.

A intensificação das atividades do grupo está causando alarme entre peruanos traumatizados por duas décadas de violência da guerrilha. O Sendero Luminoso é responsabilizado por cerca da metade das 30 mil mortes causadas pela violência política desde que o grupo pegou em armas em 1980.