Senadores querem garantir mais recursos ao Projeto Rondon e ao programa Forças no Esporte 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de agosto de 2011 as 10:16, por: cdb

O renovado Projeto Rondon e o programa Forças no Esporte poderão ser ampliados por meio de emendas da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) ao projeto de Orçamento da União para 2012. A proposta foi apresentada pelo senador Alvaro Dias (PSDB-PR) durante audiência pública promovida nesta quarta-feira (24) pela comissão e recebeu apoio do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), que presidia a reunião, e do senador Cristovam Buarque (PDT-DF).

Durante a audiência, realizada a pedido de Alvaro Dias para discutir a situação atual dos dois programas, os senadores ressaltaram a inclusão social patrocinada por ambas as iniciativas. O autor do requerimento para a realização da audiência lembrou ainda a necessidade de tornar mais conhecido o Projeto Rondon, criado em 1967 com o objetivo de levar estudantes universitários aos estados mais pobres do país, extinto em 1989 e relançado em 2005.

– Há quanto tempo não falávamos do Projeto Rondon! O ressurgimento desse programa ainda não chegou ao conhecimento da maioria dos parlamentares – disse Alvaro Dias, pouco antes de sugerir a apresentação de emendas da comissão para ampliar as dotações deste programa e do Forças no Esporte.

Vice-presidente da comissão, Paulo Bauer classificou a sugestão de Alvaro Dias como uma “provocação positiva” e recordou o grande interesse que, no momento em que ele era universitário, o Projeto Rondon despertava em jovens de Santa Catarina, interessados nas viagens de estudo e trabalho ao Nordeste e à Amazônia. O senador repetiu ainda uma frase do ex-presidente norte-americano John Kennedy, segundo a qual cada um deveria pensar no que poderia fazer por seu país, antes de saber o que o país poderia fazer por ele.

Patriotismo

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) elogiou o Projeto Rondon por “mergulhar nossos jovens na realidade” e defendeu a apresentação de emendas destinadas a ampliar a iniciativa, que, a seu ver, estimula “o patriotismo, a cidadania e o respeito ao Brasil”. Da mesma forma, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) ressaltou a credibilidade do projeto e relatou já haver encontrado em lugares remotos de Rondônia jovens do programa “cheios de entusiasmo”.

Voluntário

Depois de sua recriação, o Projeto Rondon é conduzido pelo Ministério da Defesa, em parceria com as prefeituras dos municípios envolvidos em cada nova operação semestral. Os jovens que participam da iniciativa exercem trabalho voluntário por duas semanas, durante as férias escolares, em equipes constituídas por dois professores e oito alunos.

Em 2011, participarão 12.672 jovens, em 141 municípios. Duas universidades atuam em cada município, divididas em conjuntos A e B. O primeiro envolve cultura, direitos humanos e justiça, educação e saúde. O segundo inclui comunicação, meio ambiente, tecnologia e produção e trabalho. Os estudantes – de qualquer área de conhecimento – devem estar na segunda metade do curso e podem inscrever-se por meio de edital publicado na página da Internet do Ministério da Defesa (www.defesa.gov.br/projetorondon). O próximo edital será publicado em setembro.

– Nosso foco é o voluntariado. O estudante recebe uma mochila, um boné, uma camiseta e um cantil. E minha tristeza hoje é não poder absorver todos os candidatos – disse aos senadores da comissão o coordenador geral do Projeto Rondon, brigadeiro-do-ar Rogério Luiz Veríssimo.

Esporte

Voltado a um público mais jovem, crianças de 7 a 17 anos, o programa Segundo Tempo – Forças no Esporte beneficia atualmente 12.400 estudantes escolhidos entre os mais necessitados de escolas próximas a unidades militares. O esporte é utilizado nesse programa como “instrumento de cidadania”, como expôs o vice-almirante Bernardo José Pierantoni Gambôa, presidente da Comissão Desportiva Militar Brasileira.

Os estudantes incluídos no programa são levados a uma unidade militar onde lancham e praticam atividades esportivas. Participam de atividades culturais, como visitas a museus, inclusão digital e de preservação do meio ambiente. Estão ainda incluídas aulas de reforço escolar.

– O Projeto Rondon e o Forças no Esporte são programas de brasilidade – definiu Gambôa.  

Marcos Magalhães / Agência Senado