Senadora diz que a Amazônia pode ser próxima cobiça norte-americana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 14:59, por: cdb

A senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) fez nesta sexta-feira, em Plenário, um alerta aos brasileiros sobre o que classificou como “a cobiça dos Estados Unidos” em relação à água e à biodiversidade da Amazônia, advertindo que a região pode ser o objeto da próxima invasão norte-americana.

– E o que vamos fazer? Ficar olhando? Protestar nas Nações Unidas? Precisamos nos preparar – recomendou a senadora.

Ela citou artigo do professor Said Barbosa Dib, segundo o qual o verdadeiro motivo da invasão do Iraque seria a necessidade de reverter a decisão do presidente iraquiano Saddam Hussein de adotar, em 2000, o euro e não mais o dólar em suas transações de petróleo. O presidente norte-americano George Bush temeria, de acordo com o articulista, que a Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) possa tomar a mesma decisão.

Segundo o artigo, isso levaria o dólar a perder 20% a 40% de seu valor, abalando a confiança dos investidores que hoje sustentam a economia norte-americana e financiam, sem inflação, os gigantescos déficits comercial e público dos Estados Unidos. Por esse motivo, a Alemanha e a França, que defendem o euro, se oporiam à guerra e a Grã-Bretanha, que não adotou o euro, a apoiaria.

Energia

Serys conclamou os deputados estaduais de Mato Grosso a derrubar o veto do governador Blairo Maggi a um projeto de sua autoria, quando era deputada estadual, reduzindo o ICMS sobre energia elétrica e telefonia, dos atuais 30%, para uma alíquota máxima de 17%, como vigora nos demais estados da União.

Ela relatou que o governador anterior, Dante de Oliveira, elevou o ICMS sobre energia elétrica para 30%, alíquota que, por um cálculo “por dentro”, termina sendo de 42,85% para consumidores acima de 500kwh, o que onera muito a cadeia produtiva, em um momento em que novos municípios de Mato Grosso, como Lucas do Rio Verde, Sorriso e Nova Mutum “explodem de produção”.

Em aparte, o senador João Capiberibe (PSB-AP) observou que serão os jovens a morrer na guerra. Por isso, afirmou, são eles que vêm promovendo demonstrações pacifistas no mundo inteiro. Ele sugeriu que os jovens brasileiros protestem contra os EUA boicotando a Coca-Cola e lojas de fast food .