Senado celebra 200 anos da imigração chinesa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 as 16:55, por: cdb

O presidente do Senado, José Sarney, celebrou o estreitamento das relaçõescom a China, maior parceiro comercial do Brasil, com volume bilateral de troca superior a US$ 77 bilhões em 2011. Em sessão especial nesta segunda-feira (10), para comemorar os 200 anos da imigração chinesa no Brasil, ele disse que o país nutre grande satisfação pela amizade com a China e seu povo, além de grande admiração pela contribuição milenar dos chineses para a civilização.

– É por isso que, hoje, com grande satisfação, comemoramos os duzentos anos da imigração chinesa, saudando a todos os chineses que aqui vivem, trabalhando, ajudando o nosso desenvolvimento, integrando-se ao nosso povo e fazendo parte da paisagem humana que constitui o Brasil – destacou.

Sarney salientou a importância crescente da China, a seu ver hoje uma “referência mundial”. Lembrou que as relações entre os dois países cresceram intensamente a partir do final do Século 20 e que ele próprio teve a oportunidade de colaborar nesse processo, o que motivou visita sua à China quando enquanto governo o Brasil, de 1985 a 1999.

– Por isso sempre digo que sou um amigo da China – observou.

Como registrou Sarney, sua visita à China como presidente ocorreu ainda em plena Guerra Fria, período marcado pelo confronto entre os blocoscapitalistae socialista. Contou sobre as conversas mantidas com o então presidente chinês, Deng Xiaoping (1903-1997), que liderou a modernização do país comunista.

Sarney relatou que chegou a dizer a Deng Xiaoping que o atual século seria o “século da China”. Dele, continuou Sarney, ouviu que esse seria também o século da América Latina, com o Brasil junto. Ele manifestou ainda ao entãocomandante da China o interesse em “relações privilegiadas” entre os dois países, ao que Deng Xiaoping teria dito que a resposta viria com o tempo.

– Hoje vejo que temos com a China essa relação construída nos termos que já sonhávamos e que Deng Xioping via que o tempo iria consolidar – constatou.

Lavoura do chá

Assim como Sarney, o senador Flexa Ribeiro (PMDB-PA), que preside o Grupo Parlamentar da Amizade Brasil-China no Senado e sugeriua homenagem, relatou a chegada dos primeiros imigrantes chineses no país. A bordo do navio Vulcano, cerca de 300 imigrantes vieram da cidade deMacau, na China,até o Rio de Janeiro, onde desembarcaram em 1812. O objetivo era desenvolver a agricultura, especialmente a lavoura de chá.

– A exemplo do que ocorreu há dois séculos, podemos afirmar que a China ajudou e ainda ajuda a desenvolver o nosso país naquilo que mais precisamos: geração de linhas de trabalho, de emprego, aumento da produção e desenvolvimento social apoiado no desenvolvimento econômico – comentou.

A respeito do Grupo Parlamentar Brasil-China, o senador disse que tem como missão aproximar os parlamentos dos dois países, num esforço de diplomacia parlamentar para ampliar a cooperação cultural, econômica e de amizade entre os dois povos. Flexa relatou recente visita à China, onde os senadores travaram contato com membros da Assembleia Nacional e conheceram cidades que se destacam como pólos de desenvolvimento. O grupo é integrado por 41 senadores.

Abertura econômica

Ao agradecer, o embaixador da República Popular da China, Li Jinzhang comemorou que as previsões feitas há 20 anos pelos então presidentes José Sarney e Deng Xiaoping estejam agora se concretizado. Ele disse que o século atual será também o “século de amizade Brasil China”. Para o embaixador, as relações entre os dois países tendem a se ampliar, ganhando espaço com a ampliação da abertura econômica definida como diretriz no recente congresso do Partido Comunista.

O embaixador disse que esse congresso, em que foi eleito o novo presidente da China, Xi Jinping, definiu como meta estratégica a construção da “renascença chinesa”. Segundo Li Jinzhang, o objetivo écompletar a transformação da China “num país próspero, poderoso, democrático, civilizado e harmonioso em meados do presente século”.

– No caminho para realizar desse sonho, a China erguerá alto a bandeira de paz, desenvolvimento, cooperação e se consagrará decididamente a salvaguardar a paz mundial e a promoção do desenvolvimento conjunto – destacou.

Selo comemorativo

A sessão foi também a oportunidade para o lançamento de um selo comemorativo pelos 200 anos da imigração chinesa no Brasil. Quem representou a Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos foi o superintendente-executivo, Fábio Vieira Cesar, que também representou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

A presidente da Associação Chinesa no Brasil, Heida Lee, em nome da comunidade sino-brasileira, homenageou com a entrega de uma placa José Sarney,Flexa Ribeiro e o embaixador da China. O presidente Sarney também prestou homenagem ao presidente da Associação Chinesa em Brasília, o médico e acupunturista Gu Hang Hu.

Participaram ainda da mesa o vice-presidente da Casa, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), e o deputado federal Osmar Júnior,presidente do grupo parlamentar de amizade Brasil-China da Câmara dos Deputados. Entre os senadores que se pronunciaram, se incluíram Casildo Maldaner (PMDB-SC), Cristovam Buarque (PDT-DF) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).