Senado autoriza empréstimos do BID ao Amazonas e ao município do Rio de Janeiro 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 15:50, por: cdb

O Plenário do Senado autorizou na tarde desta terça-feira (28) operações de crédito externo que favorecem o estado do Amazonas (MSF 5/2012) e o município do Rio de Janeiro (MSF 6/2012). As autorizações para empréstimos com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) já haviam sido aprovadas de manhã pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e foram incluídas na Ordem do Dia após requerimento de urgência.

Veja mais

Senado aprova compensação a estados e municípios por exportações

No valor de US$ 280 milhões, o que equivale a cerca de R$ 478 milhões, o empréstimo para o Amazonas permitirá a continuidade do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim III). O programa se destina a resolver problemas ambientais, urbanísticos e sociais enfrentados por populações residentes nas margens e leitos dos igarapés de Manaus, capital do estado.

Em Plenário, os três senadores amazonenses, Vanessa Grazziotin (PCdoB), Eduardo Braga (PMDB) e Alfredo Nascimento (PR) defenderam a autorização para o empréstimo, que, segundo eles, terá grande impacto social no estado. Responsável pela implantação do Prosamin, na época em que era governador, Eduardo Braga afirmou que 30 mil famílias já foram beneficiadas e falou sobre as comunidades que serão atendidas na nova etapa:

– O que estamos aprovando, neste momento, nesta Casa, vai beneficiar bairros tradicionalíssimos da cidade de Manaus, bairros que têm mais de 150 anos de existência e que estavam à espera de uma ação e de um investimento que pudesse resgatar a dignidade, com condições dignas e humanas de habitação para aquele povo.  

Assentamentos informais 

O empréstimo aprovado para o município do Rio de Janeiro destina-se ao financiamento do Programa de Urbanização de Assentamentos Populares (Proap – Etapa III). Os recursos, no valor de US$ 150 milhões (R$ 256 milhões em valores atuais) serão empregados na melhoria da qualidade de vida das famílias de favelas da capital fluminense. As ações envolvem intervenções urbanas, reassentamento, aquisição de equipamentos para programas sociais e controle de ocupação do solo.

Como exemplos dos problemas enfrentados nas comunidades do Rio de Janeiro, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) citou a falta de telhados, que resulta em inúmeros acidentes, especialmente com crianças que caem das lajes ao empinar pipas. Além disso, o senador destacou que as lajes se transformam em criadouros do mosquito da dengue na época da chuva.

Isabela Vilar / Agência Senado