Semmas faz operação para retirada de invasão na APA do Tarumã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 13:08, por: cdb

Uma operação coordenada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) fez a retirada, na manhã desta terça-feira, de uma ocupação irregular numa área de 200 metros de comprimento no acostamento e passeio público da Estrada do Tarumã, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Tarumã. Com essa, sobe para 118 o número de invasões combatidas na cidade desde 2009.  Três homens, que ameaçaram explodir duas botijas de gás para impedir a ação, foram detidos e encaminhados para a Delegacia Especializada em Meio Ambiente.  A operação contou com o apoio do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Secretaria Municipal de Limpeza Pública, Manaustrans, Samu, Guarda Civil Metropolitana e Corpo de Bombeiros.

De acordo com o setor de Fiscalização da Semmas, os invasores foram notificados a sair da área no dia 27 de dezembro de 2011. No total, 28 barracos foram notificados. As famílias chegaram no local no mês de setembro, logo após serem retirados de outra ocupação, a José de Alencar, também no Tarumã. Além de estar numa APA, os barracos ocupavam também uma área de risco às margens da Estrada do Tarumã. O Serviço de Inteligência da Polícia também atestou que a área vinha sendo utilizada como ponto de tráfico de drogas, sendo os ocupantes, em sua maioria, remanescentes do bairro Campos Sales, onde têm casa.

Caminhões-baús foram disponibilizados para fazer o transporte dos pertences dos invasores. Dezenas de ligações clandestinas de energia foram desativados no local. Os gatos eram utilizados para alimentar de vários eletrodomésticos que haviam nos barracos. Os fiscais da Semmas informaram também que os invasores fizeram diversas fossas negras no local e utilizavam uma área, por trás do muro de uma empresa, para despejar dejetos. O acúmulo de lixo fazia com que o local se tornasse um ponto de atração de urubus – o que coloca em risco o tráfego aéreo – e foco de proliferação de doenças. A operação teve início por volta das 6h e contou com 75 pessoas, dos diversos órgãos envolvidos.