Sem dia para morrer

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de setembro de 2004 as 11:29, por: cdb

Não era implicância. Ao término da sessão de O mundo não é o bastante, terceiro 007 com Pierce Brosnan, ficou uma sensação péssima. O filme era horrível. Até as divertidas seqüências mentirosas, que ajudaram a emplacar o clima nonsense do personagem, eram um mau gosto, muito mentirosas e com pouca criatividade. E aí? A coluna achou que era o fim de Pierce Brosnan e 007. Pior ainda foi colocar a Denise Richards como especialista em plutônio. Uma mulher linda daquelas falando aquele vocabulário totalmente estranho (o que também é uma marca em filmes de James Bond, mas ali, alto lá!). Até a música tema, da ótima banda Garbage, era ruim.     
 
Surpresa grande mesmo veio anos depois com Um novo dia para morrer, quarto e último filme com Brosnan – o próximo Bond é Dougray Scott, de Missão impossível 2. O Telecine exibe essa grande obra de ação (uma das melhores de Brosnan), estreando em sua programação, nesse sábado, às 21h.
 
Tudo em Um novo dia para morrer funciona. A música de Madonna é fantástica (na humilde opinião desse que vos escreve, sua melhor trilha). Tudo funciona e temos a impressão de ter saído de um dos melhores filmes do agente com permissão para matar. Não dá pra perder.