Sem acordo entre autopeças e sindicalistas de São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de março de 2003 as 18:37, por: cdb

Terminou sem acordo a primeira reunião da chamada campanha emergencial realizada na manhã desta segunda-feira entre os empresários e os trabalhadores de autopeças de São Paulo filiados à Força Sindical.

Os representantes das empresas não apresentaram contraproposta para a reivindicação de reajuste salarial dos trabalhadores na campanha, que prevê a reposição da inflação acumulada de novembro a fevereiro.

De acordo com a Força Sindical, os metalúrgicos querem reajuste entre 10% e 11% referente a esse período. O índice corresponde à inflação acumulada de 1º de novembro – data-base de categoria – até fevereiro.

A intenção dos trabalhadores é antecipar a reposição para evitar o acúmulo das perdas na próxima data-base. De novembro último até janeiro, a inflação acumulada é de 8,8%.

A campanha da Força Sindical envolve 700 mil metalúrgicos de 51 sindicatos do Estado, incluindo os setores de autopeças, fundição, máquinas e eletroeletrônicos. Uma próxima reunião com os empresários de autopeças está marcada para o dia 20 de março, às 10h.

Nesta terça-feira, dia 11, às 14h, os sindicalistas vão negociar com os empresários do grupo 9, que inclui os segmentos de máquinas e eletroeletrônicos. O encontro será realizado na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). Na quinta-feira, dia 13, às 14h, haverá reunião com o setor de fundição.