Seguranças vão continuar trabalhando sem arma, diz diretor do Metrô no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de março de 2003 as 14:35, por: cdb

O diretor de Relações Institucionais do Metrô-Rio, Luiz Mário Miranda, disse nesta quarta-feira que apesar da morte da estudante Gabriela do Prado Ribeiro, de 14 anos, durante assalto na estação de São Francisco Xavier, na Tijuca, os agentes de segurança da empresa vão continuar trabalhando desarmados.

“Todo nosso processo de segurança é de inteligência e não de combate. Não podemos fazer isso, não podemos fazer”, afirmou.

Miranda informou que 400 homens e mulheres trabalham em esquema de plantão em todo o sistema do metrô fazendo a segurança e que 30 agentes estão sendo treinados para reforçar a escala.

Ele disse também que uma assistente social da empresa atende à família da estudante. O corpo da menina será sepultado no final da tarde, no Cemitério do Caju, zona norte do Rio.