Segundo ministro, o Brasil investe pouco em turismo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de novembro de 2003 as 01:38, por: cdb

O ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, afirmou que o governo brasileiro investe pouco no setor de turismo no país.
 
– A Organização Mundial de Turismo recomenda que o governo faça um investimento de 2% do volume das divisas que entraram no país. Se neste ano entrarem US$ 4 bilhões devido aos turistas que estão chegando ao Brasil, então deveríamos investir US$ 80 milhões. Vamos investir metade disso – disse Guia em entrevista à BBC Brasil.

O ministro participa, em Londres, da World Travel Market 2003, uma feira de turismo internacional. Segundo ele, o Brasil pretende gastar US$ 40 milhões (cerca de R$ 230 milhões) na promoção do turismo, com o objetivo de atrair nove milhões de visitantes estrangeiros ao ano, até 2007. Serão gastos R$ 72 milhões apenas em propaganda, sendo R$ 26 milhões para o mercado interno e R$ 46 milhões para o exterior.

As campanhas de divulgação serão focadas na diversidade cultural do país.
 
– A cultura atrai até mais do que a natureza. A própria hospitalidade do povo brasileiro precisa ser promovida. Isso fica muito em segundo plano. Parece que o Brasil só tem praia, mar, sol, Carnaval, cerveja e mulher bonita. Tudo isso é muito bom, mas não queremos de jeito nenhum passar a idéia de que o turismo sexual terá vez – salientou o ministro.

– Queremos promover o Brasil como um país de lazer, que toda a família possa visitar. É o que estamos fazendo aqui na feira – disse.

Para divulgar a imagem do Brasil na Europa, cada escritório de turismo (localizados em Londres, Berlim, Roma, Madri, Paris e Lisboa) receberá US$ 2 milhões (R$ 5,7 milhões). Com esses recursos, eles colocarão em prática uma série de estratégias para atrair mais turistas ao Brasil e manter contatos com as empresas do setor. O escritório de Lisboa será o central, já que, de acordo com Guia, Portugal tem atualmente o maior fluxo de estrangeiros para o Brasil.

– Já temos 34 vôos semanais com a Tap que vão para o Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife, Fortaleza e Natal. A tendência é aumentar esse número – disse o ministro.

O ministro argumentou que os turistas da Europa e dos Estados Unidos não estão deixando de ir ao Brasil por causa da falta de segurança.
 
– Eles deixam de ir ao Brasil porque não tem promoção – disse.

– A segurança do Brasil não fica a dever nada a nenhum país. As estatísticas de crimes no Brasil não são tão diferentes de outras grandes cidades no mundo. Ocorre que isso aparece mais na imprensa, ganha mais destaque, é muito enfatizada como se ela fosse muito maior do que na verdade é – falou.

Também serão feitos investimentos no treinamento de policiais, taxistas e funcionários de aeroportos para que eles aprendam a lidar melhor com turistas.
 
– Vamos lançar um programa nacional de certificação especialmente para guias de turismo – afirmou.

O número de turistas estrangeiros que visitaram o Brasil ficava em torno de cinco milhões em 2000. No ano passado, esse número caiu para 3,8 milhões, sendo quase 40% da América Latina. Os latino-americanos foram os que mais deixaram de visitar o país. A crise econômica na Argentina, mercado fundamental para o Brasil, foi uma das razões para a queda do fluxo.

No dia 27 de novembro, o Conselho Nacional de Turismo se reúne em Brasília e deve divulgar os dados do primeiro semestre de 2003. O Brasil está entre os 190 países participantes da 24ª edição da World Travel Market, que, no ano passado, recebeu 45 mil participantes. O evento, que conta com quase 5 mil expositores, termina na próxima quinta-feira.