Sedesc e Fundtur-MS lançam projeto para fomento do turismo rural em Campo Grande

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2012 as 10:21, por: cdb

DesenvolvimentoSexta-Feira 09 de Março de 2012

Sedesc e Fundtur-MS lançam projeto para fomento do turismo rural em Campo Grande

Foto:Denilson Secreta  
Edil falou sobre a importância do projeto para a cidade
Fortalecer o turismo rural e fomentar negócios para a Capital sul-mato-grossense, hoje um dos principais destinos turismo de eventos, estão entre os principais objetivos do projeto “Centro de Referência de Turismo Rural e Informações Turísticas”, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e do Agronegócio (Sedesc) em parceria com a Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur-MS).

O centro deverá funcionar no atual Centro de Atendimento ao Turista (CAT) José Maria Tortorelli, localizado na BR 262, na saída para Três Lagoas, O local será ampliado para o funcionamento de um “Café”, onde possam ser comercializados produtos típicos da gastronomia sul-matogrossense, além de artesanato e demais produtos de interesse dos turistas que visitam Campo Grande.

Segundo o titular da Sedesc, Edil Afonso Albuquerque, o investimento inicial será de R$ 600 mil e a parceria com o Governo do Estado foi primordial para que o projeto pudesse ser aprovado. “A Fundtur, por meio da Nilde Brum, acreditou na viabilização deste projeto e conseguiu junto ao Ministério do Turismo o recurso necessário para a execução. Com isso, poderemos transformar o espaço do CAT num ponto de referência para divulgação do turismo rural de Campo Grande, recebendo os turistas que aqui chegam com tapete vermelho”, destacou o secretário.

Para a diretora-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur-MS), Nilde Brum, o Centro irá garantir a oferta de um produto de qualidade para o trade turístico e turistas que chegam diariamente na Capital. “Nós realizamos um levantamento com os proprietários rurais nas saídas de Campo Grande e identificamos que 70 propriedades já estão aptas a receber turistas para visitação. Existem mais candidatos, porém teriam algumas adequações a fazer para, então, oferecer locais e produtos que são muito procurados pelos turistas”, ressaltou.

A titular da Fundtur explicou, ainda, que está previsto no projeto a elaboração de mapas dos locais aprovados, sinalizando nome e o produto oferecido para venda, facilitando assim a decisão de escolha do turista. Convém destacar que o material irá atender às determinações internacionais de turismo para ter um padrão de eficiência no atendimento, desde o cliente local até aquele que vem do exterior e passa pela Capital, antes de se dirigir ao Pantanal.

Parceiros – O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens de Mato Grosso do Sul (Abav-MS), Nei Gonçalves exaltou a iniciativa do projeto de organizar um local para melhor atender ao grande fluxo de turistas que Campo Grande recebe. “Recebemos um grande número de turistas de outros Estados e países e necessitamos, com urgência, de um local como este, a fim de nos organizarmos melhor para atender às expectativas deste público”, pontuou Gonçalves.

Já o representante da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Mato Grosso do Sul (ABIH/MS), Leonardo Lorenzetti lembrou que o funcionamento do Centro é uma oportunidade de fortalecimento do trade turístico e, consequentemente, do aumento de lucros para os empresários do setor. “Este projeto é uma oportunidade que temos para mostrar aos turistas e população local as belezas da região, além de oferecer suporte aos profissionais que trabalham de forma legal”, lembrou.

O chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Cleber Oliveira Soares participou do evento e apresentou números importantes sobre visitantes que passaram pela instituição em 2011. “Nós recebemos, no ano passado, 470 visitas de profissionais interessados em participar de turismo científico e rural e sentimos que Campo Grande ainda não atende a este público. Com o funcionamento do Centro de Referência do Turismo Rural, poderemos atender melhor estes visitantes, já que somos consultados freqüentemente por agências de turismo de estados como Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. Então, por que não termos uma rede de profissionais?”, questionou Soares.

A representante da Associação Brasileira de Turismo Rural de Mato Grosso do Sul (Abratur/MS) e proprietária da Fazenda Pontal das Águas, Margareth Regina Mello detalhou o trabalho realizado ao longo dos últimos 10 anos e a importância do centro para a categoria. “Avalio como uma oportunidade ímpar, esta oferecida pela Sedesc e Fundtur, já que o Centro irá acolher o turista com qualidade e eficiência, além de apresentar nossa identidade cultural. Posso afirmar, como profissional do setor, que a área de turismo rural é um segmento fascinante, porém o cliente/turista é muito exigente, então precisamos de profissionais capacitados e serviços de qualidade”, relatou.
 

Fonte/Autor: Aline Oliveira MTB 044/MS