Sedec-RJ apresenta Mapa das Ameaças Climatológicas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 29 de maio de 2015 as 13:28, por: cdb
A ferramenta permitiu a confecção de 168 planos de contingência municipais para o enfrentamento a esses perigos
A ferramenta permitiu a confecção de 168 planos de contingência municipais para o enfrentamento a esses perigos

A Secretaria de estadual de Defesa Civil (Sedec-RJ) lança, na próxima segunda-feira, no auditório do Complexo de Ensino do Corpo de Bombeiros do Rio, em Guadalupe, o Mapa das Ameaças Climatológicas do Estado do Rio de Janeiro. O evento, que será presidido pelo secretário de Estado de Defesa Civil, coronel Ronaldo Alcântara, contará com a presença de prefeitos e de secretários municipais de Defesa Civil, além de autoridades da corporação.

O trabalho identifica as manchas da prevalência de estiagem e incêndio florestal nos municípios e regiões do Estado, estratificando as cidades em cinco classes de risco, que vão desde o leve ao severo. O estudo revela, por exemplo, que municípios como Miracema, Cambuci, São Fidélis e Campos estão na classe risco elevado da estiagem. Já Cardoso Moreira está na classe de risco alto e São João da Barra na classe de risco médio. No quesito incêndios florestais, Silva Jardim, Itaboraí, Araruama e Nova Friburgo apresentam risco elevado para a ocorrência. Petrópolis indica risco muito alto; Teresópolis, risco médio e Duque de Caxias, risco baixo.

A ferramenta permitiu a confecção de 168 planos de contingência municipais para o enfrentamento a esses perigos. Tais planos serão colocados em prática a partir da execução de exercícios simulados a serem realizados por 86 Defesas Civis municipais, com o acompanhamento da Secretaria de Estado de Defesa Civil, antes do começo do inverno, período considerado crítico para essas ameaças específicas.

– Estamos nos antecipando aos desastres, somando esforços para impedir que eles aconteçam. Porém, quando inevitáveis, devemos minimizar suas consequências por meio de ações coordenadas e planejadas com grande antecedência – afirmou o coronel  Paulo Renato Vaz, diretor geral do Departamento de Defesa Civil.