Secretário de Ambiente volta para a Câmara a partir desta quarta-feira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de abril de 2012 as 06:33, por: cdb

O secretário de Ambiente de Macaé e vereador, Maxwell Vaz, volta para a Câmara Municipal, nesta quarta-feira (04), obedecendo o calendário eleitoral que diz a todo pré-candidato se afastar dos cargos seis meses antes da eleição. Maxwell destacou que a experiência no executivo foi marcante.

– Foi uma oportunidade boa, pois pude implantar um pouco da experiência que tive na Petrobras dentro do órgão público. Com isso, conseguimos dar mais dinâmica às atividades e o trabalho acabou ganhando mais visibilidade. Fiquei satisfeito com o resultado e a própria população pode observar um avanço da Secretaria de Ambiente, que passou a ser respeitada na gestão de recursos naturais”, salientou.

Maxwell destacou algumas atividades marcantes na sua gestão, como as expedições ecológicas, fiscalização 24h, plantios em faixas marginais de proteção, gerenciamento de resíduos, entre outros.

– A educação ambiental sempre foi uma preocupação para nós e, por isso, a Secretaria de Ambiente criou uma coordenadoria voltada para esta atividade. As expedições ecológicas são exemplos de sucesso e mais de dez mil pessoas, entre estudantes e grupos sociais já visitaram alguma unidade de conservação do município: Parque Natural Municipal Atalaia, Arquipélago de Sant’Anna, Lagoa de Imboassica e APA do Sana”, revelou, salientando que é conhecendo os locais que as pessoas preservam e isso é importante à abertura regulamentada para visitantes.

A fiscalização ambiental 24h é outro marco da gestão. “De acordo com pesquisas que fizemos pela internet, há apenas duas cidades no país com este tipo de atividade de plantão: Macaé e uma cidade do interior do Ceará”, enfatizou. Através do telefone 2762-4802 a população pode ligar 24 horas para denunciar qualquer tipo de crime ambiental.

O licenciamento ambiental garante uma melhor ocupação e uso do solo, pois os empreendedores devem atender às condicionantes ambientais. “Todos os empreendimentos que se instalam em Macaé próximo a um corpo hídrico nós os condicionamos a se afastarem 30 metros do curso d’água e recuperarem a faixa marginal de proteção. Com isso, plantamos 9.150 mudas de árvores só na Linha Azul, sendo que em um plantio desses fizemos um evento e entramos no livro dos recordes, fazendo o mais rápido reflorestamento em um mesmo local, plantando 1000 mudas em 15 segundos”, lembrou.

Os Ecopontos também foram lembrados como uma forma de atender a política nacional dos resíduos sólidos a atual gestão criou os Ecopontos de Resíduos Recicláveis, de Óleo de Cozinha, de Pneus e de Óleo de Barco. “Os ecopontos têm grande adesão da população e só tendem a aumentar o número de entregas voluntárias. O óleo de barco, por exemplo, no último levantamento, recolhemos 800 litros no mês, que já é um avanço, pois este tipo de resíduos é difícil de ser coletado sem a bomba de sucção e antes de adquirirmos este equipamento uma grande quantidade de óleo poluía o meio ambiente”, reforçou.

Em relação ao Ecoponto de resíduos recicláveis o secretário disse que, infelizmente, não foi possível concluir a obra do central, mas que o ecoponto norte, no bairro Ajuda, está em pleno funcionamento. “As pessoas estão se conscientizando cada vez mais e os resíduos coletados são vendidos e a verba vai para as cooperativas de catadores que trabalham no local. É um trabalho socioambiental que tem tudo para crescer”, disse.

A Lagoa de Imboassica foi outro ponto de destaque na avaliação do secretário. “Conseguimos fazer um estudo importante sobre a lagoa e, pela primeira vez, foi feita uma abertura de barra planejada, com ata da reunião da decisão e todos os detalhes no relatório. Hoje, podemos ver camarão e siri na lagoa, animais que não encontrávamos, há anos, no seu ecossistema. Além disso, conseguimos o apoio do Estado, através do Inea e da Secretaria Estadual do Ambiente que resolveram o problema hidráulico da Lagoa de Imboassica, com a obra do canal extravasor e vertedouro. Portanto, podemos dizer que a biodiversidade desse importante ecossistema está recuperada e o problema hídrico resolvido. Agora, o desafio é a retirada do esgoto da lagoa. Todo o
levantamento já foi feito pelos fiscais ambientais e entregue à Esane e ao prefeito, para as devidas providências”, avaliou.

– Com todas essas ações podemos dizer que demos um passo ambiental importante e estou orgulhoso dessa gestão”, finalizou.