Scolari se diz “70% satisfeito” com a seleção brasileira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 18 de abril de 2002 as 01:27, por: cdb

Após o empate em 1 a 1 com Portugal, o técnico Luiz Felipe Scolari disse ter saído “70%” satisfeito com a atuação da seleção brasileira, elogiou Ronaldo, mas admitiu que ainda há falhas. “Para o Ronaldo ainda falta ritmo de jogo – mas a parte psicológica dele está muito boa, ótima. Ele está confiante e na parte física totalmente recuperado. Poderá voltar na Copa do Mundo nas suas melhores condições.”

Scolari elogiou a seleção portuguesa – que atuou sem cinco titulares – e disse que foi o adversário mais forte que o Brasil enfrentou depois de Argentina e Uruguai nas Eliminatórias. “Para mim, foi ótimo, me dá uma idéia do time que nós temos e do que podemos fazer na Copa”, acrescentou.

Defesa
Ao responder sobre as falhas de marcação pelo lado direito da defesa no primeiro tempo, Scolari admitiu que houve erros, mas os atribuiu à forma pela qual Portugal joga. “Eu acho que nós tivemos algumas falhas de cobertura e algumas falhas de posicionamento, mas que são normais quando a gente joga com uma equipe que tem um comportamento diferente das outras equipes.”

“A equipe de Portugal foi a primeira equipe que a gente enfrentou que joga com quatro zagueiros, dois volantes, três homens de ataque que não jogam enfiados e um jogador lá na frente – então isso é uma coisa que nós tivemos que aprender hoje e nós tivemos um ensinamento muito bom”, argumentou Scolari. No geral, porém, Scolari gostou do time que empatou com Portugal.

Confiança
“O grau de satisfação de um jogo como o de hoje, eu não posso dizer que foi de 100%, porque nós tivemos alguns erros que não podemos cometer na Copa do Mundo. Mas eu posso dizer que estou 70% satisfeito e isso me deixa plenamente confiante”, afirmou Scolari.

“Eu acho que, nos 20 dias antes da Copa, tenho 30% ou 20% para acrescentar em termos de bolas paradas, definição de jogadas, quando ocorrer uma saída de bola pela direita o que tem que acontecer na esquerda, uma porção de detalhes”. O técnico voltou a dizer que 90% dos jogadores convocados para a partida deverão fazer parte do time que jogará a Copa, o que significa que ele pode mudar no máximo dois ou três atletas.