Sarau marca lançamento de livros na FICC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de janeiro de 2012 as 15:36, por: cdb

Sarau marca lançamento de livros na FICC

O evento, que aconteceu na sede da Fundação, foi animado por um sarau regado a música, teatro e poesia e atraiu várias personalidades da esfera artística e cultural do eixo Itabuna-Ilhéus, consolidando a nova geração de poetas grapiúnas que tiveram suas obras publicadas pela Mondrongo Livros, editora do Teatro Popular de Ilhéus. O lançamento das obras literárias é um presente para a cidade de Itabuna e de acordo com o prefeito Capitão Azevedo vem agregar as obras de construção da Casa de Jorge Amado, em comemoração ao centenário do escritor Jorge Amado.

Ao todo quatro livros de poesia foram lançados, sendo eles: “Inúmera”, de Daniela Galdino, que discorre sobre o universo feminino, os vários aspectos que permeiam a mulher como a infância, o erotismo, a velhice e memória; “Quintais do Tempo”, de André Rosa, que fala sobre a trajetória pessoal e humana do autor enquanto indivíduo que faz parte do contexto sulbaiano na transição do século XX para o século XXI; “À Espera do Verão”, de Geraldo Lavigne de Lemos traz uma reflexão sobre o homem em seu dia a dia no mundo e sua relação na sociedade e “Outros Silêncios”, de Gustavo Felicíssimo é uma releitura do livro do autor chamado “Silêncios”, baseado no Raicai, forma poéticas originária do Japão.

Segundo ele, o mesmo livro foi premiado em São Paulo nas edições anteriores e está sendo traduzido em espanhol para a América Latina. Apesar de a editora ser de Ilhéus, o escritor enfatiza a preocupação de estender o lançamento das obras dentro das cidades que fazem parte da região cacaueira a exemplo de Itabuna. ”Isso me deixa muito feliz porque eu moro em Itabuna, sinto o quanto a cidade está necessitando dar uma guinada que mexa com o meio artístico da cidade”, disse. A escritora Daniela Galdino achou o evento importante pelo fato de quatro livros de poesia terem sido lançados de uma só vez e também de as produções serem de Itabuna e Ilhéus. ”Hoje em dia ouvimos muito que poesia não tem público e provamos exatamente o contrário na semana passada em Ilhéus”, comentou.

Geraldo Lavigne Lemos considerou a noite positiva por ter lançado o seu primeiro livro individual. O autor já possui outras publicações, jornais e livros e atualmente concilia a carreira de advogado com o trabalho literário e possui uma coluna no Jornal Diário de Ilhéus. O historiador André Rosa, que também estreou na área literária, espera que o livro seja bem recebido pelo público. ”Que haja uma crítica posterior para que a gente possa evoluir em cima da nossa produção”, falou.

Para a presidente da Ficc, o evento aconteceu em um momento histórico para o mundo por conta do centenário de Jorge Amado. ”Itabuna abre os braços para que se possa produzir, repensar e fazer trabalhos críticos sobre Jorge Amado aproveitando a parceria com a Editora Mondrongo. Estou de coração aberto junto com a toda a equipe da Ficc para que os talentos venham e possam aflorar as ideias e os projetos possam se concretizar aqui.”, concluiu.

DCS/PMI – Texto: Karina Lins / Fotos: Thiago Pereira – 23/01/12